Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.



"Sem teto para gasto, só restará aumentar imposto"

Antonio Cruz- Agencia Brasil: <p>Brasilia - O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, empossa hoje Luiz Awazu Pereira no cargo de diretor de Assuntos Internacionais.</p>

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que, se o Congresso não aprovar a proposta de criar um teto para os gastos públicos, o país terá escolhido uma opção preocupante: "Se não for aprovada, não haverá outra saída, porque nos próximos anos, para financiar este aumento das despesas públicas, só restará aumentar imposto"; ele também indicou ser contra um novo programa de refinanciamento de dívidas das empresas: "a tentativa de atender a todos é que levou à deterioração da situação fiscal e prejuízo de todos"; e afirmou que cumprirá a meta de fechar o ano com deficit de R$ 170,5 bilhões, apesar da gastança do governo interino: "Quem viver verá", disse

Dilma: “a resistência ao golpe vai continuar”

: <p>Belo Horizonte - BH, 20/05/2016. Presidenta Dilma Rousseff participa do 5º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR</p>

Após o noticiário dizendo que a presidente eleita Dilma Rousseff "teria jogado a toalha" e vê a possibilidade de não voltar ao Palácio do Planalto, a petista informou, por meio sua assessoria, "que não existe, nem nunca existiu, a hipótese de renúncia"; de acordo com a nota, "não é de hoje que parcela da imprensa brasileira alardeia que a presidenta Dilma Rousseff considera improvável sua vitória no Senado. E que deveria desistir. Isso não vai acontecer"; "A resistência ao golpe vai continuar por meio de viagens da presidenta pelo Brasil e por meio do diálogo politico construtivo com o Senado"; segundo o texto, "aqueles que noticiam uma renúncia que jamais acontecerá desejam manter um aparente quadro de normalidade e encobrir com a renúncia a anomalia deste impeachment sem crime de responsabilidade, que é uma afronta ao Estado Democrático de Direito e à Constituição"