Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.



Renan, Jorge Viana e o fator anti-PT

Marcos Oliveira

"Polêmica sobre afastamento de Renan chega ao impeachment de Dilma. A ação da Rede contra Renan foi levada ao STF no mesmo processo que levou ao afastamento de Eduardo Cunha da presidência da Câmara, em maio. Se Teori Zavaski tivesse afastado Renan na mesma época em que afastou Cunha, o julgamento de Dilma teria sido presidido pelo primeiro vice, o petista Jorge Viana," escreve Paulo Moreira Leite; para PML, "desde 2012, quando debatia a AP 470, mais conhecida como mensalão, o STF tem assumido prerrogativas que, pelo artigo 55 da Constituição, cabem ao Legislativo, como afastar e cassar parlamentares. A diferença, agora, é que uma eventual mudança pode representar um distúrbio na aprovação da PEC 55"

Moro confraterniza com Aécio e revolta esquerda

Diego Padgurschi /Folhapress

Embora tenha sido um dos políticos mais citados nas delações da Lava Jato, o senador Aécio Neves confraternizou, na noite de ontem, com o juiz Sergio Moro; Aécio já foi apontado como responsável por um mensalão em Furnas, como beneficiário de esquemas no Banco Rural e como "o mais chato" cobrador de propinas de uma empreiteira; a foto despertou reações indignadas na esquerda; "Do que riem tanto o 'justiceiro' alçado a 'herói nacional' e o candidato derrotado em 2014 - e recordista em citações na investigação comandada pelo primeiro?", questionou o senador Lindbergh Farias (PT-RJ); ontem, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será julgado por Moro, acusou o juiz paranaense de ser um militante do PSDB