Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.

4.05.2016

Fotos Públicas


Temer admite levar investigados ao governo

:

Em entrevista ao jornalista Gerson Camarotti, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) admitiu a possibilidade de nomear investigados na Operação Lava Jato para compor o seu eventual governo; são cotados para a equipe do peemedebista Romero Jucá e Henrique Eduardo Alves, ambos do PMDB, investigados pelo Supremo, e Geddel Vieira Lima, também do PMDB que já foi citado nas delações; "Num plano mais geral, o que eu posso dizer é que a investigação ainda é o que é, uma investigação. Então, não sei se isto é um fator impeditivo de uma eventual nomeação", afirmou; sobre a possibilidade do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), assumir a Presidência, Temer desconversou: "Isso eu só avaliarei se eu vier a assumir o governo"; na entrevista, ele disse que a economia é o tema central do país e disse concordar com o programa do PSDB para aderir ao governo, sobretudo o tópico que trata sobre o parlamentarismo

Dilma: “Não renunciarei. A injustiça continuará visível”

Roberto Stuckert Filho/PR:

A presidente Dilma Rousseff afirmou, nesta terça (3), durante lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar, no Palácio do Planalto, que não renunciará ao seu mandato; ela disse que é "vítima de uma fraude" e que a democracia brasileira "sofre um assalto" com o processo de impeachment; "Muitas vezes eles pediram que eu renunciasse porque, se eu renunciar, se esconde para debaixo do tapete esse impeachment sem base legal. É extremamente confortável para os golpistas que a vítima desapareça, que a injustiça não seja visível. A injustiça vai continuar visível", afirmou; ela ainda explicou detalhadamente porque assinou os decretos de suplementação; segundo Dilma, um serviu para cobrir gastos do TSE com concurso público e outro foi para destinar dinheiro para hospitais universitários federais; ela também classificou como "mentira" a afirmação de que foi o Banco do Brasil que custeou o Plano Safra do ano passado; os decretos de suplementação estão sendo utilizados como argumento para o impeachment


Vídeos 247 Canal Youtube do Brasil 247