Brasil 247: o seu jornal digital 24 horas por dia, 7 dias por semana.


Homem da mala era assessor especial de operador de Temer antes de ir para a JBS

O empresário Ricardo Saud, que detalhou ao Ministério Público Federal pagamentos de propina a vários políticos, entre eles Michel Temer e Aécio Neves (PSDB), não é um desconhecido em ilegalidades com o Poder Público; antes de se tornar o homem da mala da JBS, Saud foi o homem de confiança de Wagner Rossi no Ministério da Agricultura; Rossi foi demitido em 2011 pela presidente Dilma Rousseff acusado de corrupção e tráfico de influência relacionado à empresa Ouro Fino, cuja subsidiária tinha Ricardo Saud como sócio; enquanto Rossi e Saud estiveram no Mapa, a Ouro Fino ampliou o faturamento em 81%; depois que Wagner Rossi foi demitido, Saud foi o primeiro a deixar o Mapa; em delação, Joesley Batista relata pedido feito por Temer de uma mesada de R$ 100 mil a Wagner Rossi pela JBS

Rocha Loures acha que brasileiro é otário e diz que não sabia que havia dinheiro na mala

Homem da mala de Michel Temer, o deputado Rodrigo Rocha Loures, que recebeu uma mala de R$ 500 mil da JBS, e foi filmado correndo com o pacote, menosprezou a inteligência do povo brasileiro ao afirmar não saber que a mala estava recheada de dinheiro; segundo Loures, ele só veio a saber do conteúdo após a mala ser aberta e ver o montante acondicionado em seu interior; Loures, que foi assessor especial de Temer, vem afirmando que Temer não tem nada a ver com o episódio; temor do governo, porém, é que Loures mude sua versão visando fechar um acordo de delação premiada, já que ele tem admitido que sua situação perante à Justiça é delicada e sua esposa estar grávida de oito meses


Fechar