"Ninguém aguenta mais. Chegou o limite. Tem gente desempregada passando fome porque reduziram o auxílio emergencial", afirmou o líder do MTST, Guilherme Boulos. Movimento realiza protestos em oito estados pelo pagamento de R$ 600 do auxílio emergencial e por mais investimentos em moradias

Colunistas

Ao vivo na TV 247 Youtube 247

Cortes 247

Apoie o 247

Revista Brasil 247