América latina

Chile: mineradores entram em greve na maior empresa produtora de cobre do mundo

O governo e a Codelco agiram rapidamente para dissipar as preocupações sobre um impacto nas operações

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters)


Reuters - Trabalhadores da gigante de mineração estatal chilena Codelco, a maior produtora de cobre do mundo, lançaram uma grande greve na quarta-feira para protestar contra o fechamento de uma fundição por questões ambientais, embora o governo tenha minimizado o impacto nas operações.

A Federação dos Trabalhadores do Cobre (FTC), um grupo abrangente dos sindicatos da Codelco, disse que 50.000 trabalhadores devem entrar em greve, incluindo funcionários e contratados depois que a fundição de Ventanas foi fechada, apesar dos pedidos de investimento para mantê-la aberta.

>>> Chile: governo decide encerrar operação de fundição devido a "casos recorrentes" de intoxicação; sindicatos protestam

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Já temos todas as divisões paradas hoje", disse Amador Pantoja, presidente do sindicato, à Reuters. "Vamos esperar calmamente pela manhã para ver se há uma chance de conversar."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governo e a empresa, no entanto, agiram rapidamente para dissipar as preocupações sobre um impacto nas operações. 

"Não há paralisação dos locais de mineração", disse o ministro da Fazenda, Mario Marcel, em entrevista coletiva, horas após o início da greve. "Portanto, o impacto na receita financeira é basicamente zero."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Andre Sougarret, presidente-executivo interino da Codelco, disse que houve "alguma descontinuidade" em relação às operações, mas a empresa conseguiu tomar medidas para retomá-las.

"Desde que isso foi anunciado, tomamos medidas para, em primeiro lugar, garantir a segurança das pessoas e, por outro lado, continuar as operações", disse Sougarret.

No final do dia, a FTC disse que os líderes do protesto foram detidos pelas forças policiais enquanto protestavam do lado de fora da mina El Teniente da empresa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Devido a esses incidentes lamentáveis, estamos suspendendo qualquer tentativa de conversar com a alta administração da Codelco e continuamos ativamente com nossa greve nacional", disse a FTC em comunicado.

O conselho de administração da Codelco aprovou o fechamento da fundição de Ventanas na semana passada, depois de ter sido suspensa para manutenção após dezenas na região adoeceram. A decisão foi posteriormente apoiada pelo presidente chileno Gabriel Boric.

A instalação também opera uma refinaria de cobre, que não será afetada pela medida.

Os trabalhadores haviam avisado na semana passada que entrariam em greve se os investimentos para atualizar as instalações não fossem aprovados e insistiram na terça-feira que a empresa deveria atualizar a fundição. 

A área em que a fundição está localizada está saturada de operações industriais que ativistas ambientais descreveram como uma "zona de sacrifício" devido a incidentes de poluição.

ATUALIZAÇÃO da ARN

Os trabalhadores da mineradora anunciaram nesta quinta-feira o fim da greve nacional.

"Os líderes e a empresa formarão uma mesa de trabalho para abordar o futuro da divisão e garantir um acordo de transição justo para o processo", informaram a Codelco e a FTC em comunicado conjunto, segundo a ARN. 

"A vontade de ambas as partes se materializou após a Corporação ratificar seu compromisso de dar continuidade à divisão Ventanas com o fortalecimento de sua refinaria, que inclui os investimentos necessários para sua sustentabilidade operacional, com projetos como o desenvolvimento de um forno de tratamento de sucata", disseram.

Ambas as partes "concordaram em estabelecer como princípio de diálogo o cuidado com a saúde dos trabalhadores, das comunidades onde as operações estão inseridas, a proteção do meio ambiente, bem como a proteção da empregabilidade, juntamente com o empoderamento da Codelco como uma empresa pública", acrescentaram.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email