América latina

Em julgamento, Cristina liga processo contra ela ao atentado de 1º de setembro

‘No dia em que o promotor terminou sua argumentação, colocaram a porta da minha casa na TV. Ali tentaram atirar em mim’, afirmou a líder peronista

www.brasil247.com - Vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner 17/03/2022
Vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner 17/03/2022 (Foto: REUTERS/Agustin Marcarian)


Carta Capital - A vice-presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, assumiu sua própria defesa nesta sexta-feira 23, durante as alegações finais em um julgamento no qual o Ministério Público pediu 12 anos de prisão para ela. A líder peronista também avaliou que o processo criou um clima propício para o atentado frustrado do qual foi vítima em 1º de setembro.

Cristina é acusada de associação ilícita e administração fraudulenta agravada. A alegação é de que ela teria orientado a concessão de licitações de obras públicas na província de Santa Cruz, seu reduto político, em favor do empresário Lázaro Báez. O veredito deve ser conhecido até o final deste ano.

Ela afirmou ter constatado que “a esfera judicial dá uma licença social para que qualquer um possa pensar em fazer qualquer coisa”. E emendou: “No dia em que o promotor terminou sua argumentação histriônica, colocaram a porta da minha casa na televisão. Ali mesmo tentaram atirar em mim”.

Leia a íntegra na Carta Capital.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email