América latina

Governo da Venezuela e oposição retomam diálogo político

Para esta nova rodada, foi colocado sobre a mesa um segundo acordo parcial que, entre outros pontos, prevê a recuperação dos recursos bloqueados do país

www.brasil247.com - Jorge Rodríguez, presidente do parlamento venezuelano
Jorge Rodríguez, presidente do parlamento venezuelano (Foto: Sputnik)


247 - Os representantes do Governo da Venezuela e da oposição reunidos na Plataforma Unitária se reunirão novamente no México para retomar formalmente as conversações suspensas no ano passado.

O presidente do Parlamento venezuelano e principal negociador do governo, Jorge Rodríguez, publicou um comunicado afirmando que o objetivo desta nova reunião é assinar o "Segundo Acordo Parcial para a Proteção do Povo Venezuelano", que já foi exaustivamente discutido em Caracas, informa o RT. 

Segundo o texto, este acordo contempla a "recuperação de recursos legítimos, propriedade do Estado venezuelano, que hoje se encontram bloqueados no sistema financeiro internacional".

“Este acordo expressa assim o avanço do direito do nosso povo a usufruir dos seus bens e recursos ilegal e injustamente bloqueados, colocando as necessidades sociais no centro das atenções da Mesa de Diálogo Nacional”, enfatizou o porta-voz do governo.

Segundo o que Rodríguez publicou, o acordo se concentra em "um mecanismo prático" para aliviar a complexa situação na Venezuela, causada pelo bloqueio de recursos estatais no exterior.

O chefe do Parlamento venezuelano explica que os recursos resgatados serão usados ​​para reforçar o sistema público de saúde nacional, incluindo a recuperação de infraestruturas, equipamentos, fornecimento de insumos, vacinas e medicamentos.

Os recursos também servirão para ampliar e reforçar o serviço de energia elétrica, atenção a parte significativa da infra-estrutura escolar, atendimento às necessidades decorrentes da emergência chuvosa e programas de apoio alimentar.

Em consonância, a Plataforma Unitária também emitiu um comunicado afirmando que tem como objetivo que os resultados do processo “se traduzam em ações concretas que ajudem a resolver as necessidades de todos os venezuelanos”.

“Não haverá saída real da crise sem um acordo político abrangente que dê soluções para o nosso povo”, destaca a plataforma da oposição no texto.

As negociações entre o governo e a oposição venezuelana começaram em agosto de 2021 no México, com a mediação da Noruega. Na primeira rodada de conversações, as partes assinaram um memorando de entendimento para reafirmar a disposição de dialogar.

No entanto, dois meses depois as negociações foram interrompidas devido à extradição para os EUA do empresário e diplomata venezuelano Álex Saab. O Governo qualificou este procedimento de ilegal e exigiu a libertação imediata do responsável, questão que se mantém apesar do reatamento das negociações.

A volta à mesa ocorre após uma rodada de conversas prévias entre os partidos realizada semanas atrás em Paris, que contou com a presença dos presidentes da Colômbia, Gustavo Petro; da França, Emmanuel Macron; da Argentina, Alberto Fernandez; e a chanceler norueguesa, Anniken Huitfeldt.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247