América latina

López Obrador reitera proposta de asilo político a Julian Assange

"Oferecemos asilo e somos a favor de sua libertação porque ele é perseguido politicamente", disse o presidente do México

www.brasil247.com -
(Foto: REUTERS)


ARN - O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador (AMLO), reiterou nesta quinta-feira sua proposta de asilo político ao jornalista e ativista australiano Julian Assange, que está em prisão preventiva em Londres, na Inglaterra, aguardando extradição para os Estados Unidos. que quer julgá-lo pelas revelações de informações oficiais através do WikiLeaks.

Em sua conferência da manhã, AMLO destacou: "houve comunicação com o Ministério das Relações Exteriores e sim, oferecemos asilo e somos a favor de sua libertação, porque ele é perseguido politicamente". “Deviam dar-lhe a liberdade e (...) ele poderia ter asilo em nosso país. Essa é a nossa posição”, comentou o presidente.

AMLO descreveu como "uma pena" que Assange seja detido por divulgar informações, "porque nessa informação há atos de corrupção, crimes cometidos entre governos e tudo o que a elite realiza em segredo", acrescentou.

Em janeiro deste ano AMLO revelou que antes de Donald Trump deixar a presidência dos Estados Unidos, em janeiro de 2021, ele lhe enviou uma carta pedindo que "perdoasse" Assange, mas não obteve resposta.

Em 2012, o jornalista se refugiou na Embaixada do Equador em Londres, mas em 2019 foi preso em cumprimento a uma ordem judicial vinculada ao pedido de extradição dos Estados Unidos, depois que o Equador retirou seu status de asilo.

Em 20 de abril deste ano, a justiça britânica autorizou formalmente a extradição de Assange para os Estados Unidos, mas a execução aguarda a assinatura da ministra do Interior britânica, Priti Patel. Cabe apelação.

Na semana passada, quase 300 pessoas se manifestaram em Londres para exigir que o governo britânico negue a extradição do jornalista, que é apoiado por pelo menos 20 organizações de defesa dos direitos humanos e da liberdade de imprensa.

Apoio de ex-presidentes

Personalidades como Luiz Inácio Lula da Silva ou Dilma Rousseff, ex-presidentes do Brasil, Ernesto Samper, ex-presidente da Colômbia, Fernando Lugo, ex-presidente do Paraguai e os juristas Adoración Guamán e Baltasar Garzón, assinaram em dezembro do ano passado uma declaração do Grupo de Puebla e do Conselho Latino-Americano de Justiça e Democracia exigindo a liberdade de Assange.

"A decisão do Tribunal de Westminster (Reino Unido), de 10 de dezembro de 2021, que permite a extradição de Julian Assange para os Estados Unidos, não é apenas um grave erro judicial que coloca em risco sua vida, como afirmam seus advogados de defesa, mas é uma decisão que abre sérios precedentes na violação do direito humano à liberdade de expressão e informação", diz a carta.

Além disso, os signatários apontaram o paradoxo de que a ação do WikiLeaks, em vez de ser aplaudida, "desencadeou uma série de punições que incluem a acusação, difamação, desmoralização, estigmatização e criminalização de Assange. Esse processo de humilhação e difamação definitivamente transcende um indivíduo, para se tornar um corretivo em nível internacional, mostrando passo a passo a crueldade que o sistema instituído pode atingir, para impedir que alguém ouse fazer algo semelhante. Em última análise, procura paralisar o instinto e o direito de buscar a verdade, incutindo medo".

Por fim, afirmavam que "a liberdade de Assange é a liberdade de todos. A prisão de Assange é o triunfo da opressão, do silêncio e do medo".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email