2013, de novo

A capa de O Globo com “Marielle presente” não é uma homenagem, é um escárnio. O Grupo Globo jamais se preocupou com as bandeiras de Marielle, nem muito menos com os grupos sociais que ela defendeu até morrer

Vigília em homenagem à vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco e ao motorista Anderson Gomes, nesta na noite desta quinta-feira (15), em Curitiba. Ato reuniu 2,5 mil pessoas na Praça Santos Andrade, no centro da capital. Foto: Gibran Mendes
Vigília em homenagem à vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco e ao motorista Anderson Gomes, nesta na noite desta quinta-feira (15), em Curitiba. Ato reuniu 2,5 mil pessoas na Praça Santos Andrade, no centro da capital. Foto: Gibran Mendes (Foto: Leandro Fortes)

A Globo e seus acólitos iniciaram um movimento explícito – e escandaloso – para capturar a morte de Marielle Franco, de forma a controlar a narrativa do fato, da mesma forma que fez, com total sucesso, com as chamadas “jornadas” de 2013.

A capa de O Globo com “Marielle presente” não é uma homenagem, é um escárnio. O Grupo Globo jamais se preocupou com as bandeiras de Marielle, nem muito menos com os grupos sociais que ela defendeu até morrer.

Marielle nunca teve voz nem presença nessa mídia simbolizada pela Globo, muito pelo contrário: a Globo e seus mervais, kamels e jabores sempre estiveram do lado oposto do discurso e da vida de Marielle.

O que se pretende é capitalizar a comoção popular, com repercussões internacionais, de modo a controlar as reações políticas internas e evitar a construção de um argumento sólido contra a intervenção federal, no Rio, e, por extensão, o golpe.

A edição do Jornal Nacional (que não vejo, por determinação médica), festejada por muita gente boa nas redes, é a revelação em si desse movimento.

Ou alguém acredita mesmo que o JN está em lágrimas por conta de uma militante negra, favelada e socialista, em plena ditadura fardada nas comunidades cariocas?

O povo não é bobo.

E a Globo, menos ainda.

Inscreva-se na TV 247 e confira protesto contra a Globo depois da morte de Marielle:

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Lula volta a frustrar Moro, Rede Globo e PSDB
Mauro Nadvorny

Não é o Lula, é o Lula

Ninguém pode ser condenado sem trânsito em julgado. Em outras palavras, um culpado de um crime qualquer, só pode cumprir sua pena, quando tiver sua condenação confirmada e todos os recursos negados...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247