A carta-testamento de Getúlio Vargas

João Goulart pretendeu ajudar os pobres realizando a reforma agrária; Lula retirou 35 milhões de brasileiros da pobreza e Dilma recebeu prêmio da ONU pelo Brasil ter saído do mapa mundial da fome. Os três cometeram 'a besteira'' de seguir os passos de Getúlio. Deu no que deu!

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Conseguiu com suas ações em defesa dos trabalhadores e dos segmentos mais humildes, a revolta do empresariado nacional.

Movido por um nacionalismo autêntico quis tornar o Brasil uma grande potência, inserindo nesse contexto a criação da Petrobrás e Eletrobrás, contrariando interesses fora do país.

Interesses econômicos contrariados e eis que em pouco tempo a elite brasileira, concentrou em Carlos Lacerda, - há tempo farejando a presidência, todo seu potencial midiático para desestabilizar o governo constituído de Getúlio

Os canais da TV Tupi, do paraibano Assis Chateaubriand estavam sempre abertos para a verborragia agressiva do jornalista. Na Rádio Globo de Roberto Marinho, de imensa audiência, também se ouvia diariamente a retórica carismática e contundente de Carlos Lacerda.
O seu jornal, a Tribuna da Imprensa sempre encontrava pretextos para destruir a imagem do político gaúcho, com imensa popularidade entre os trabalhadores e os segmentos sociais menos favorecidos.

Na sua Carta-Testamento o presidente brasileiro resumiu o seu perfil politico, expondo suas preocupações sociais e sua determinação na defesa dos pobres e oprimidos, e denunciou sobretudo, os motivos de seu gesto fatal, apontando os responsáveis pelo caos instalado no país: "Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se novamente e se desencadeiam sobre mim.

Não me acusam, me insultam, não me combatem, caluniam e não me dão o direito de defesa. . Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação para que eu não continue a defender como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes".

A carta denunciava ainda o conluio do empresariado doméstico/multinacionais para barrar a Petrobrás e Eletrobrás: "Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobras, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero".

'As forças subterrâneas' queriam também conter as conquistas salariais dos trabalhadores brasileiros: " Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho".

Mais atual do que nunca, o documento falava de sua luta pelo povo e o rancor das classes dominantes: ""Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia, não abateram meu ânimo".

Em meados de 1954 a pressão do complexo elite-politico-midiático tornou-se insuportável e o 'pai dos pobres' entre renunciar ou submeter-se à sanha golpista da elite nacional, optou por "sair da vida para entrar na história".

João Goulart pretendeu ajudar os pobres realizando a reforma agrária; Lula retirou 35 ,milhões de brasileiros da pobreza e Dilma recebeu prêmio da ONU pelo Brasil ter saído do mapa mundial da fome.

Os três cometeram 'a besteira'' de seguir os passos de Getúlio. Deu no que deu!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247