A Copa é nossa! É isso aí!

A Globo e seus congêneres vão atuar de forma dúbia: ganhar muito dinheiro com o evento internacional de futebol e, concomitantemente, sabotá-lo para desqualificar o governo trabalhista



A Copa do Mundo é um torneio de seleções de futebol realizado a cada quatro anos pela Federação Internacional de Futebol (FIFA). Maior evento de futebol do planeta e segunda maior competição esportiva do mundo em audiência — superada apenas pelas Olimpíadas —, a Copa mexe com a emoção de bilhões de pessoas, além de ser transmitida para os cinco continentes do planeta.

As perguntas e dúvidas mais frequentes das pessoas são as seguintes:

1) Os altos investimentos para copa terão retorno para os cofres públicos?
2) O Brasil suporta sediar a Copa do Mundo de 2014?
3) O Brasil está investindo bilhões de reais na realização da Copa do Mundo. O dinheiro não poderia ser investido em saúde, educação e segurança?

A verdade é que grande parte da população se posiciona a favor da Copa, um sonho antigo do País e conquista importante porque insere o Brasil como referência mundial em termos de megaeventos e que apesar dos que torcem contra, o País tem know-how, porque há décadas organiza a maior festa popular do mundo, o Carnaval, bem como já foi a sede da Copa do Mundo de 1950 quando o Brasil praticamente era um País rural e mesmo assim realizou, com competência, o torneio internacional de futebol, que estava suspenso por causa da Segunda Guerra Mundial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, o Brasil tem experiência em organizar megaeventos, a exemplo do Rock in Rio, as visitas dos papas João Paulo II, Bento XVI e Francisco, a Eco 92, a Rio+20, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), os Jogos Pan-Americanos, em 1963 e 2007, além de muitos outros eventos grandiosos, que aconteceram no Brasil e ninguém questionou ou convocou a população para ir às ruas em uma tentativa de boicotar e sabotar a Copa de 2014, como estão a proceder os políticos dos partidos de direita e os bate-paus empregados dos magnatas bilionários da imprensa de negócios privados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eu entendo que se a Copa não é a solução dos problemas, como consideram aqueles que veem com maus olhos a competição ser realizada no País, pelo menos produz um alto investimento para alguns setores que estavam à espera de retomar o crescimento, gera milhares de emprego, evidencia o Brasil em termos mundiais e faz com que circule dinheiro no País. O Brasil e seu povo estão a se preparar para aproveitar esse momento único e extraordinário.

A copa permite alavancar e adiantar investimentos essenciais em infraestrutura e serviços. A Matriz de Responsabilidade é um plano estratégico de investimentos compartilhados entre o poder público nos três níveis (federal, estadual e municipal) e o setor privado. Três quartos dos investimentos nos projetos que integram a Matriz se destinam à infraestrutura e serviços para o País, além de 62% dos investimentos estarem concentrados em projetos de mobilidade urbana e de modernização dos aeroportos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Valores dos investimentos da Matriz de Responsabilidade

Monitoramento de maio/2013 — Distribuição de investimento por tema.

Estádios – R$ 7,6 bilhões
Mobilidade Urbana – R$ 8,9 bilhões
Aeroportos – R$ 8,4 bilhões
Portos – R$ 700 milhões
Telecom – R$ 400 milhões
Segurança – R$ 1,9 bilhão
Turismo – R$ 200 milhões

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O total de investimento é de R$ 28,1 bilhões, divididos entre os estados, municípios, federação e empresas privadas. Mais de R$ 142 bilhões adicionais circularão na economia brasileira, no período 2010/2014, o que vai gerar 3,6 milhões de empregos. Para cada real aplicado pelo setor público, R$ 3,4 reais são aplicados pela iniciativa privada, a partir das obras estruturantes. Por sua vez, a renda gerada para população brasileira, no período 2010/2014, vai ser da ordem de R$ 63,48 bilhões.

A verdade é que a Copa já traz benefícios ao País, apesar da má vontade e da sabotagem dos setores mais conservadores e reacionários da sociedade brasileira. Se não, vejamos: 24.500 empregos diretos foram criados apenas nos seis estádios da Copa das Confederações, que foi um sucesso de renda e público apesar das manifestações de junho. Além do mais, R$ 100 milhões em novos negócios para as micro e pequenas empresas brasileiras, grandes empregadores de mão de obras e serviços foram gerados pela Copa das Confederações.

Por seu turno, 903 empresários estrangeiros de 70 países realizaram a promoção de Apex durante a Copa das Confederações. A expectativa é agregar U$$ 1 bilhão às exportações de produtos nacionais nos próximos doze meses. Por conseguinte, 86 mil trabalhadores estão a se qualificar em cursos oferecidos pelo Pronatec Copa.

A saúde e a educação também estão a ser beneficiadas, sendo que os investimentos em educação quase triplicaram de 2007 a 2013, fatos esses jamais repercutidos pela imprensa de mercado. Para se ter uma ideia, os Investimentos em saúde mais que dobraram de 2007 a 2013, quando foram investidos R$ 447 bilhões no setor. A educação teve investimentos de R$ 311,6 bilhões no período. São números oficiais e que não podem ser desmentidos pelos coxinhas de classe média, pela direita partidária e pelos jornalistas e "especialistas" de prateleiras da imprensa entreguista e que luta contra o desenvolvimento do Brasil e a emancipação do povo brasileiro.

A promoção de grandes eventos esportivos como as Olimpíadas e a Copa do Mundo é uma estratégia do Brasil para a atração de investimentos e de atenção internacional. Tais eventos colocam o Brasil definitivamente na agenda mundial e mesmo assim o País e o Governo trabalhista enfrentam uma oposição cerrada, midiática e golpista, pois colunistas e blogueiros da imprensa burguesa estão a chamar as pessoas para irem às ruas e incrivelmente a utilizar abertamente, sem quaisquer constrangimentos e senso crítico, o slogan "Não vai ter Copa"! Boicote e sabotagem na veia para prejudicar o Brasil que, a duras penas, ano após ano, luta para se desenvolver e se inserir no contexto mundial como um País que quer ser civilizado.

Os inquilinos da Casa Grande e seus porta-vozes, as mídias privadas, torcem contra o Brasil e são os responsáveis, sem sombra de dúvida, pelo alarmismo e terrorismo psicológico para que as realizações e projetos para o País não se realizem e fracassem. Mas não vai dar certo. A Copa do Mundo de 2014 vai ser um sucesso, apesar da má vontade daqueles que não apenas torcem contra o Brasil, mas, sobretudo, o estigmatizam internacionalmente para prejudicá-lo.

Eventos como a Copa do Mundo geram estímulos para os negócios domésticos (restaurantes, hotéis e outros setores da economia), e, portanto, benefícios econômicos. Tais benefícios proporcionados pelos eventos reiteram o argumento de que os recursos investidos para a Copa do Mundo se justificam. Sem sombra de dúvida, o esforço do Governo trabalhista e dos brasileiros para que a Copa a ser realizada em 2014 seja um sucesso não vai ser em vão. A Copa vai cooperar para alavancar o nosso desenvolvimento, apesar da postura derrotista e oposicionista da imprensa brasileira e de setores conservadores da nossa sociedade.

O objetivo da direita é fazer a Copa fracassar, ao tempo que, concomitantemente, aproveitar para adquirir lucros e dividendos, no que concerne aos seus negócios, privilégios e, evidentemente, à política, afinal este é um ano também de eleições presidenciais. Derrotar Dilma Rousseff e o PT são os itens mais importantes da pauta da direita e dos coxinhas que reproduzem seus valores e princípios. O Governo trabalhista tem de ficar muito atento às movimentações golpistas e que rasgam a Constituição e desrespeitam o estado democrático de direito.

O Brasil está a investir R$ 28,1 bilhões para ter a Copa do Mundo em suas terras e vai ter um retorno previsto de R$ 142 bilhões, ou seja, valores quase cinco vezes maiores do que o dinheiro investido. Assim mesmo os derrotistas, os que convocam manifestações de preferência seletivas, os negativistas e os portadores de complexos de vira-latas continuam a apostar no fracasso. As Organizações(?) Globo, por exemplo, vão ganhar muito dinheiro com a Copa, afinal ela é um monopólio e a presença de anunciantes vai ser farta.

A Globo e seus congêneres vão atuar de forma dúbia: ganhar muito dinheiro com o evento internacional de futebol e, concomitantemente, sabotá-lo para desqualificar o Governo trabalhista e desconstruir as imagens de Dilma Rousseff, afinal quem trouxe a Copa para o Brasil foi o ex-presidente Lula, e este fato é imperdoável para a Casa Grande e seus capitães do mato. Contudo e apesar de tudo, a Copa é nossa! É isso aí.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email