A democracia brasileira escorrega ladeira abaixo

"A democracia brasileira escorrega ladeira abaixo em velocidade alucinante. Os militares, aqueles que até analistas de esquerda afirmaram estarem 'constrangidos' com seu novo papel, a cada dia dão mostras que estão adorando a volta da ordem unida", escreve o jornalista Mauro Lopes, citando os últimos fatos ocorridos no governo Temer com o avanço dos militares; sobre a coletiva de imprensa, que selecionou as perguntas previamente, ele questiona: "o próximo passo será a exigência de aprovação prévia antes da veiculação das reportagens?"

"A democracia brasileira escorrega ladeira abaixo em velocidade alucinante. Os militares, aqueles que até analistas de esquerda afirmaram estarem 'constrangidos' com seu novo papel, a cada dia dão mostras que estão adorando a volta da ordem unida", escreve o jornalista Mauro Lopes, citando os últimos fatos ocorridos no governo Temer com o avanço dos militares; sobre a coletiva de imprensa, que selecionou as perguntas previamente, ele questiona: "o próximo passo será a exigência de aprovação prévia antes da veiculação das reportagens?"
"A democracia brasileira escorrega ladeira abaixo em velocidade alucinante. Os militares, aqueles que até analistas de esquerda afirmaram estarem 'constrangidos' com seu novo papel, a cada dia dão mostras que estão adorando a volta da ordem unida", escreve o jornalista Mauro Lopes, citando os últimos fatos ocorridos no governo Temer com o avanço dos militares; sobre a coletiva de imprensa, que selecionou as perguntas previamente, ele questiona: "o próximo passo será a exigência de aprovação prévia antes da veiculação das reportagens?" (Foto: Mauro Lopes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A democracia brasileira escorrega ladeira abaixo em velocidade alucinante. Os militares, aqueles que até analistas de esquerda afirmaram estarem "constrangidos" com seu novo papel, a cada dia dão mostras que estão adorando a volta da ordem unida.

1. Oficializaram a condição de guetos das favelas cariocas, implantando um controle inconstitucional;

2. Assumiram o Ministério da Defesa e nomearam o novo chefe da Polícia Federal;

3. Advertiram que uma nova Comissão da Verdade é inadmissível;

4. Informaram que a intervenção do Rio é a primeira de uma série -até que todo o país esteja sob intervenção?

5. Na entrevista coletiva do general-interventor no Rio, nesta terça (27), foram proibidas perguntas formuladas oralmente. Só foram aceitas por escrito e respondidas depois de analisadas pelos milicos. Não por acaso, apenas perguntas dos veículos da Rede Globo e do Estadão foram respondidas. Todas as perguntas de correspondentes estrangeiros foram vetadas - o próximo passo será a exigência de aprovação prévia antes da veiculação das reportagens?

(este texto foi originalmente publicado no facebook de Mauro Lopes)

Inscreva-se na TV 247 e assista ao Bom Dia 247 desta quarta-feira, 28, com Leonardo Attuch:

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247