A Direita Simulacro

Deduzimos que os Liberais brasileiros, desprovidos de votos, são incompetentes e que grande parte das Forças Armadas, sobretudo no Exército Brasileiro, tem vocação golpista.

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Simulacro: Falsificação, Imitação, Fingimento, Disfarce.

As palavras são o que realmente significam e continuam lindas e cruelmente fatais.

Quando tratamos dos “Punhos de Renda”, na pressa de me livrar dessa Turma de Golpistas contumazes, saltei algumas casas.

Faço questão de reparar.

Na eleição de 1955, Juscelino é eleito com 3.077 milhões de votos, que corresponde a 35,68% dos votos e Jango, seu vice que era votado em separado, obteve 3.591 milhões que significam 44,25%. Há outro detalhe interessante nas eleições de 1960. A votação de Jango, como vice, foi de 36,1% de votos. Esse percentual é superior ao obtido pelo Marechal Henrique Lott, candidato do PSD a presidente com 32,94%. Pelos números, deduzimos que o “cadáver” de Getúlio não largava o pé dos “Punhos de Renda”, portanto, reconhecendo a sua vocação de desprovimento de votos, nada mais natural do que a UDN apoiar a Ditadura Militar.

É necessário registrar a liderança de Leonel Brizola na falsa crise bolada pelos “Punhos de Renda” no episodio da renuncia de Jânio Vassourinha/Caçador de Marajás/Arminha.

Brizola, que era governador do Rio Grande do Sul, criou a Campanha da Legalidade e, junto com o Exercito e o povo gaúcho a quem ele deu armas e liderou, garantiu a posse de Jango, mesmo aceitando a mudança para o Parlamentarismo.

Iria pular a Ditadura Militar, que vai de 1º de abril de 1964 a 15 de março de 1985.

A Ditadura é a Ditadura e não é um Partido Político.

Os fatos:

Gente dos Céus!

Vamos imaginar quanta incompetência.

As figuras estiveram exatos 21 anos no Poder Central, com o controle de tudo e de todos.

Mataram, prenderam, manietaram o congresso, nomearam governadores, senadores, constrangeram o STF com aumento de 11 para 16 ministros, governaram através de Ato Institucionais, escolheram, disfarçadamente, em eleições, via Congresso, cinco presidentes e, mesmo com todos os poderes, sem praticamente nenhuma oposição, foram completamente incompetentes de todos os pontos de vista que queiramos analisar.

Imaginemos assim:

O Presidente da República, com ou sem razão, reclama do Poder Legislativo, do Judiciário, dos meios de Comunicação, da Oposição, enfim de todos os contrapesos necessários para o bom andamento do modelo liberal de democracia. 

Correto?

Vejamos.

A Ditadura Militar governou por 21 anos com todos os poderes, sem nenhum contrapeso, eliminaram os Partidos, calaram a Imprensa, cassaram, expulsaram e mataram adversários e, mesmo assim, não foram capazes de nos oferecer um país com justiça social, distribuição de renda, com saúde e educação para todos, tampouco tiveram capacidade de estruturar um novo partido que pudessem se comparar ao PTB de Getúlio, mesmo levando em consideração o fato da criação da ARENA, segundo algumas fontes,  ser o maior Partido do Ocidente. 

Deduzimos, com facilidade, que fracassaram em tudo.

Inclusive no discurso fácil de que viriam com a finalidade de acabar com a corrupção. 

Mentira.

São diversos os casos:

Contrabando na Polícia do Exército; A vida dupla do delegado Fleury; Governadores biônicos e sob suspeita; O caso Lutfalla; As mordomias do regime; Delfim e a Camargo Corrêa; As comissões da General Electric Newton Cruz; caso Capemi e o dossiê Baumgarten; Caso Coroa-Brastel; Grupo Delfin, Corrupção Itaipu.

O diplomata José Jobim foi encontrado morto.

Fracassaram na Economia, em 1964 o Salário Mínimo era equivalente a R$ 1.200 e no final de 1985, correspondia a R$ 620.

A inflação no período 1964/1985 era de 64,5%.

Fracasso total. Vergonha absoluta triste memória.

Promoveram a extinção dos Partidos Políticos e criaram dois Simulacros/Disfarces: ARENA – Aliança Renovadora Nacional e MDB – Movimento Democrático Brasileiro.

Eram ajuntamentos. Os Sim,Senhor”– ARENA e os “Permitidos” – MDB.  Certamente queriam ter a sagacidade de Getúlio que criara o PTB e o PSD. São uns gênios.

Deduzimos que os Liberais brasileiros, desprovidos de votos, são incompetentes e que grande parte das Forças Armadas, sobretudo no Exército Brasileiro, tem vocação golpista.

Evidente que, como sempre, há exceções. O General Teixeira Lott é um exemplo. Há vários outros.

O legado da UDN foi a fracassada, incompetente e violenta Ditadura Militar que é a verdadeira mãe de uma excrescência:  A “Direita Simulacro”.

Um pequeno recorte da conjuntura e já chegamos nela.

A sociedade já estava em movimento.

As mortes de Herzog, O Fiel Filho, Greves ABC, Lei do Divórcio, Greve de Fome , Comitê pela Anistia, A Lei da Anistia ,Lula já havia enterrado Sindicalismo Pelego, O Partido dos Trabalhadores, Fim do Bipartidarismo e o retorno glorioso de todos os anistiados e Dulce Maia, a primeira expulsa e a primeira que chega, depois vem Gabeira, Brizola, Arraes, Márcio Moreira Leite, LUIS CARLOS PRESTE, Gregório Bezerra e o Betinho – o irmão do Henfil – que chega com o Bêbado e a Equilibrista do Aldir, do João, da Elis e do povo.

A Ditadura agonizava no mandado do seu último Presidente General João Batista Figueiredo – 15 de março de 1979 a 15 de março de 1985 e a inflação atingia exatos 242,24%, tudo caminhava para que, finalmente o povo voltasse a ser o verdadeiro protagonista da cena democrática. 

Eleições para Governadores em 1982.

No dia 2 de março de 1983, o Deputado Dante de Oliveira apresenta a Emenda Constitucional de nº 5 que determina o reestabelecimento das eleições Diretas para Presidente da Republica do Brasil.

O Brasil era uma festa, um gozo, uma folia, uma final da copa de 1970, uma Bossa Nova, uma catarse, um verdadeiro carnaval, uma festa de São João no Nordeste. 

O Brasil tinha a cara da volta de Getúlio, a alegria do retorno dos anistiados e o contentamento popular com a posse de Lula.

Muita mobilização popular, de líderes da política, dos trabalhadores, do meio artístico, empresariais, atletas, sindicalistas, religiosos, e a dissidência conhecida e aguardada: A Rede Globo.

A esperança beirava os Céus.

Dia 24 de abril 1984.

Bingo!!!

Nananinanão...

Os banqueiros e lobistas entraram em campo onde a execrável Rede Globo já estava.

O Lula, dia desses afirmou que a luta era pelo voto popular. Afinal de contas desde 06 janeiro 1963, no Plebiscito que devolveu a presidência ao Getulista João Goulart, o povo não tinha o legítimo e sagrado direito de escolher o seu dirigente maior. Ainda disse que FHC, (nesse rapaz não se pode confiar) e Dr. Tancredo já conspiravam na calada da noite. Teriam medo do radical Ulisses de Oliveira.

Eu discordo de Lula. O medo da Globo e da elite dominante era de Leonel de Moura Brizola, Getulista, nacionalista, trabalhista, defensor de um Estado forte.

Surge uma “dissidência/fingimento/disfarce”.

José Sarney, o destruidor do Maranhão e ACM, imperador branco da Bahia se negam a votar em Paulo Maluf. 

Estava dada a senha e a emenda Dante Oliveira seria derrotada.

Foram 298 votos a favor, 113 ausências, 3 abstenções.

O dissimulado, astucioso, fingido, hipócrita, simulado Dr. Tancredo, foge das ruas e vai-se enlamear com a UDN/ARENA.

A mesma UDN/ARENA que matou Getúlio e que tentou impedir a posse de Juscelino, bem como a posse de João Goulart e a UDN que nos levou à Ditadura Militar.

Essa traição de Tancredo à Emenda Dante de Oliveira, nos leva a Sarney (que aliás era vice sem votos e assume sem contestação) e a Fernando Afonso Collor de Melo e vai nos levar ao segundo traidor.

Exatamente ele, o Conspirador FHC. Também um simulacro, fingido, disfarçado.

Em maio de 1994 a pesquisa indicava Lula 44% e FHC 17%.

Começa a operação Real e FHC, Ministro da Fazenda de Itamar, com a cara de pau que lhe é peculiar, conspira com o lançamento do Plano Real no dia 01 de julho de 1994 e eleições presidenciais em 03 de outubro. 

A coligação era com o PLF/, ou seja, com a UDN/ARENA/PDS/PFL/DEM

A segunda conspiração é a compra da reeleição. Há farta documentação.

O povo que houvera caído no Real, Pega a Visão e cai na real.

Lula em 2002.

Aqui surge o terceiro traidor.

As tentativas de golpear Lula/PT se iniciam em 2004 com o Mensalão. 

Sem sucesso absoluto.

Povo incluído, Lula atravessa o primeiro mandato, se reelege, saí com 87% de bom e ótimo. Elege e reelege Dilma e voltaria, assim como fizera Getúlio.

A reeleição de Dilma revela o Terceiro Disfarçado, Fingido, Simulado:

Aécio Neves, neto de Tancredo (traidor I) e indicado por FHC (traidor II) para candidato a presidente em 2014.

Esse é um Pulha.

Derrotado, se junta a Cunha, um escroque, para promover o Impedimento de Dilma, pois sabe que depois de Dilma, vem Lula.

Eles não aguentariam!

Alegar corrupção em Dilma, Impossível.

A saída é Pedalada Fiscal. É muita cara de Pau.

Fechando o que realmente significa a “Direita Simulacro”:

Tancredo, o traidor I, nos lega a UDN de Sarney, que nos lega FHC (traidor II) e o Príncipe nos lega Aécio, o Pulha, que nos lega Jair Bolsonaro.

No episódio em que Auro Moura Andrade declara vaga a Presidência da República, com Jango em Porto Alegre, o líder do governo, Tancredo Neves, segundo Almino Afonso, teria dito: Canalha! Canalha! Canalha!

Se o primeiro canalha era ele Tancredo, está certo. Segundo, para FHC, também certo e o terceiro, não há erro, para Aécio.

Seria querer demais que ele previsse o Messias.

Não o fez, deixou essa tarefa para o neto de estimação.

Só lembrando, em todo esse processo a Rede Globo e toda Mídia Golpista e conservadora estiveram umbilicalmente ligadas. Sem esquecer que as Forças Armadas ou parte delas, também.

Somente uma Revolução Bolivariana nos salvará!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247