A falácia do 'salto alto'

É como se Lula e seu partido tivessem que se ajoelhar no milho, para se penitenciar pela liderança em todas as pesquisas de intenção de voto

www.brasil247.com - Lula
Lula (Foto: Ricardo Stuckert)


Por Bepe Damasco

Não são poucos os lutadores políticos e sociais do campo progressista que insistem em identificar o “salto alto” da pré-campanha de Lula à presidência da República como um problema sério e paralisante a ser superado.

O estranho é que a preocupação nunca vem acompanhada da citação de um fato concreto sequer que corrobore a hipotética acomodação política do candidato a presidente que concentra a esperança de todos que sonham com a reconstrução do país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

É como se Lula e seu partido tivessem que se ajoelhar no milho, para se penitenciar pela liderança em todas as pesquisas de intenção de voto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por acaso revela acomodação o movimento que Lula faz em direção ao centro político, ao detectar corretamente que muito mais do que uma eleição está em jogo o embate entre a civilização democrática e a barbárie fascista/bolsonarista?

Como considerar acomodado um candidato cujo avanço da presença nas redes sociais é reconhecido por empresas e especialistas da área?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Que diabo de salto alto é esse que faz com que Lula venha concedendo um sem número de entrevistas diárias a emissoras de rádio, especialmente para programas com forte audiência e penetração nas camadas populares?

Como pode Lula ser acusado de “dormir em berço esplêndido”, se ele tem viajado pelo país fazendo contatos que vão praticamente de A a Z do espectro político?

Como apontar um clima perigoso de “já ganhou” na campanha de um candidato que, sempre que possível e as restrições impostas pela lei eleitoral permitem, reúne milhares de pessoas para ouvi-lo, como aconteceu recentemente na Uerj, no Rio de Janeiro?

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que tem a ver com acomodação e arrogância o esforço que o PT faz para dar vida à federação com os partidos de esquerda? Cabe lembrar que a federação só não será maior porque o PSB desistiu de participar.

Claro que a campanha tem problemas, como todas. Aliás, quanto maior é a envergadura política de uma campanha, mais é necessário administrar a usina de problemas de toda ordem que surgem. Também espero uma eleição dificílima, pois teremos contra nós as forças da mais baixa extração presentes na sociedade, a autêntica essência do mal.

Eleição, como tem alertado o José Dirceu, se decide na dinâmica da campanha. O exercício da crítica entre nós, claro, é sempre bem-vindo. Melhor ainda se pautado em fatos reais, e não em elucubrações abstratas.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email