A Globo e o fica Temer

Com Temer o buraco é mais embaixo, quer dizer, no bolso. A monstruosa dívida da Rede com o BNDES, que segundo o jornalista Luiz Nassif já foi rolada uma vez e agora falta patrimônio pra rolar novamente. E o que se sabe é que a turma de Temer no banco não deu a menor bola para as agruras dos Marinho

Rede golpe de televisão
Rede golpe de televisão (Foto: Sebastião Costa)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vejamos o currículo do sistema Globo 

Quem estreou a brilhante carreira golpista do Sistema foram as ondas curtas, médias e compridas da rádio Globo na transferência de Getúlio Vargas da vida para a história.

Nos obstáculos de JK para assumir a presidência, as impressões digitais dos Marinho também estiveram presentes,

E na derrubada do governo constituído de Jango, o cidadão Kane, ops! Roberto Marinho, escreveu do próprio punho, editorial comemorando a chegada das trevas ditatoriais do regime militar.

Numa noite de autógrafos do livro biográfico Roberto & Lily, a plateia muito seleta ouviu a sinceridade da viúva, Lily Marinho : "O Roberto colocou ele lá (Collor na presidência) e tirou".

Algum cidadão brasileiro gozando da plenitude de suas faculdades mentais, com uma fagulha de discernimento, duvida da participação do Sistema Globo no golpe que derrubou Dilma Rousseff?.

Pois não é que agora, a própria Globo quis derrubar o próprio Temer que ela mesma botou lá!

Claro que nessa história toda existe por aí a questão da ideologia. Não se pode deixar de enxergar que, Getúlio ( suicidou-se antes do golpe), Jango e Dilma foram destituídos nesse corredor. Mas, e Collor e Temer, direitizados feito o Sistema?

O narcisismo escancarado que só permitia intimidade com o seu fotógrafo ( não dava muita bola para os barões da mídia); a reprodução de um jardim da mansão dos Marinho na casa da Dinda e problemas alfandegários com uma jornalista da Globo, irritaram o todo poderoso presidente das organizações Globo. Aí não deu outra: o " caçador de marajás" retornou a sua insignificância de político alagoano .

Mas com Temer o buraco é mais embaixo, quer dizer, no bolso.

A monstruosa dívida da Rede com o BNDES, que segundo o jornalista Luiz Nassif já foi rolada uma vez e agora falta patrimônio pra rolar novamente. E o que se sabe é que a turma de Temer no banco não deu a menor bola para as agruras dos Marinho.

Ponha ainda nessa conta, os dribles de 600 milhões de reais que o Sistema aplicou na Receita Federal com a transmissão da Copa de 2002.

Fale-se também da história do FBI e do MP espanhol que anda nos encalços da FIFA de Ricardo Teixeira . Considerando as muitas esquisitices ( bota esquisitice nisso!!!) do contrato da Globo para transmissão da Copa do Brasil, se pegar um pega os outros três.

Isso posto, há de se convir que a Globo não é boba e precisava se respaldar. Afinal, nos próximos capítulos da novela são estratégicos para as Organizações, o Ministério da Justiça, a PGR e o BNDES.

- Paulo Tonet, representante da rede entabulou muitas conversas reservadas  com o sucessor natural de Temer.
- Na dobradinha com Janot  jogou-se muitas fichas na eleição de Nicolao Dino como seu sucessor. Perdeu feio!
- O JN e todas as publicações da rede bateram (e continuam batendo )sem piedade no governo. E no massacre do tudo ou nada contra o presidente (?)Temer, o que se viu foi que, finalmente o Sistema pela primeira vez perdeu a parada na tentativa de um golpe.

Mas, quem seria menos maléfico para o Brasil? O presidente da República ou o presidente da Câmara?

No quesito ética, extraindo-se a pancadaria global, os dois caminham lado a lado.

O partido do presidente da Câmara, o DEM, tem pedigree fincado na direita reacionária da velha UDN, guerreira de tantos golpes.

Vamos colocar ainda nessa conta, que um golpe em cima de outro iria remeter nosso país ao mais elevado pódio no quesito república bananeira da América Latina, num continente que já carrega no peito a medalha de ouro na modalidade golpe de estado

E considerando que a Globo não é flor que se cheire, que fique o odor repulsivo do governo Temer. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247