A greve dos caminhoneiros é Cavalo de Tróia

A esquerda andará de mãos dadas com o patronado que trazem consigo um cavalo de troia com os militares dentro? As forças progressistas não devem se empolgar com a derrota dos nossos adversários, mas sim fazer uma análise criteriosa e minuciosa dessa nova realidade que se apresenta. Pois quem erra na análise política, também errara na ação

Caminhoneiros bloqueiam BR-040 em Luziania, perto de Brasília 23/05/2018 REUTERS/Adriano Machado
Caminhoneiros bloqueiam BR-040 em Luziania, perto de Brasília 23/05/2018 REUTERS/Adriano Machado (Foto: Carlos Hortmann)

Quando começaram os burburinhos de que haveria uma greve dos caminhoneiros no Brasil, os meus instintos mais céticos ligaram o alerta. Desde então, comecei a ler as mais variadas análises e pesquisar o que dizem os movimentos grevistas.

Antes de mais nada, gostaria de salientar que observei muitos colegas da esquerda fortemente empolgados com essa greve, pois desgasta brutalmente o governo de Michel Temer. Sim, desgasta! Mas gostaria de sinalizar para um ponto importante. Quem são os líderes e os movimentos que estão a convocar a greve? Todavia, sinto informar, essa não é uma greve da classe trabalhadora, mas sim uma greve do patronado que tem visto os seus lucros a diminuir por causa da crise econômica que afeta o Brasil. O ponto de referência que tenho para dizer tais coisas são organizações que estão a negociar com o (des)governo do Temer. Uma delas é o Movimento União Brasil Caminhoneiro, que tem como um dos líderes um senhor chamado Nélio Botelho, o qual tem um histórico muito suspeito, como podem verificar em uma simples pesquisa online, pois existem algumas reportagens. Acredito que se jornalistas fizerem um verdadeiro escrutínio com esse senhor e os seus negócios sairá muito lixo.

Para fortalecer ainda mais as minhas suspeitas, a União Nacional dos Transportadores Rodoviários e Autônomos de Carga, divulgou um comunicado nas redes socais e alguns sites compartilharam (um deles é o "antagonista"); informa que o primeiro item da sua pauta política é a seguinte:

1) "Cumprimento integral da lei do voto impresso em urnas eletrônicas ou adoção do voto impresso em urnas de lona, com apuração a cargo das Forças Armadas. Em caso de descumprimento, nos somaremos ao clamor popular por intervenção militar."

Para que os que acompanham as falas do candidato à presidência da extrema-direita, Jair Bolsonaro e os seus seguidores, esse é um discurso muito comum e corrente. Isso liga um sinal de alerta ainda maior. Pergunto-me, será essa a fenda que encontraram para construir um discurso para não haja eleições? Temos que fazer essas perguntas e suspeitar de todos esses movimentos que não têm bases populares. Muitos propalaram o seguinte: nós da esquerda temos que ir para a luta e tentar pautar essa greve. O ponto é: nós não conseguimos conduzir e trazer o povo a rua para lutas de extremo interesse popular como a reforma trabalhista e da previdência?

A esquerda andará de mãos dadas com o patronado que trazem consigo um cavalo de troia com os militares dentro? As forças progressistas não devem se empolgar com a derrota dos nossos adversários, mas sim fazer uma análise criteriosa e minuciosa dessa nova realidade que se apresenta. Pois quem erra na análise política, também errara na ação.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247