A liquidez e a velocidade do século XXI

O amor romântico, aquela coisa exposta nas fotos de casamento dos seus avós está com os dias contados. Alguns lamentam ou se alegram por isso, a imensa maioria segue indiferente e veloz. Estava observando certa manhã depois de um match no tinder, a opção de continuar dando like

O amor romântico, aquela coisa exposta nas fotos de casamento dos seus avós está com os dias contados. Alguns lamentam ou se alegram por isso, a imensa maioria segue indiferente e veloz. Estava observando certa manhã depois de um match no tinder, a opção de continuar dando like
O amor romântico, aquela coisa exposta nas fotos de casamento dos seus avós está com os dias contados. Alguns lamentam ou se alegram por isso, a imensa maioria segue indiferente e veloz. Estava observando certa manhã depois de um match no tinder, a opção de continuar dando like (Foto: Igor Santos)

O amor romântico, aquela coisa exposta nas fotos de casamento dos seus avós está com os dias contados. Alguns lamentam ou se alegram por isso, a imensa maioria segue indiferente e veloz. Estava observando certa manhã depois de um match no tinder, a opção de continuar dando like.

Não procuramos alguém, mas uma experiencia narcisistica. O chamado espelho. Fulana X se separou de sicrano Y, uma semana depois sicrano Y acorda com fulana W num lugar do centro.

Saio de SP e 36 horas depois estou em Amã, horas antes e ainda no espaço aéreo de uma nação vizinha, ouço que o wifi esta normal novamente. O rapaz do meu lado liga o happn, na tela de seu celular último tipo desfilam fotos de moças de olhos enigmáticos e pele morena, as mesmas que andam pelas ruas cobertas até os pés. A moça do outro lado fala em italiano com seu marido, que olha os quadris da aeromoça. Tenho sempre a impressão que italianos estão brigando.

Quantos séculos observam o estadunidense obeso tirar sua selfie nas ruínas de Petra? O beduino tem um iPhone 5s, conta no Instagram com legendas em inglês. O guarda real usa um traje tradicional, me acena e puxa assunto sobre os jogadores brasileiros na Eurocopa.

E quando desço para o bar do hotel tem 51 e caipirinha, falafel e a cabeça de um leão empalhada. Quantas selfies essa cabeça presenciou ou fez parte? Vejo uma mulher, apenas seus olhos pintados, coberta pelo véu até os pés. Ao nosso redor construções de tempos imemoriais, vielas de 3 mil anos e antenas de TV a cabo. Será que ela tem tinder?

E no meio disso, penso nas ruinas de Babel que estão alguns quilometros daqui e inspiraram a lenda sobre a origem dos idiomas. O passado segue como continuo, dentro do presente e provavelmente na ideia que projetamos como futuro. Cada vez mais distante, feito um copo de vodka com suco de laranja, com cada vez mais suco de laranja, até ser só suco de laranja. Aqui do hotel consigo ouvir chamarem para oração através de auto-falantes, não é mais um homem na torre, mas ainda é uma voz humana.

Não podemos lutar contra a modernidade, somos a vodka diluindo no suco de laranja. Provavelmente você conheceu seu amor em um aplicativo, um catalogo onde buscou algoritimos parecidos com aqueles que você produz. O mundo tal como conheciamos acabou. Generais não enviam mais cartas para jornais ameaçando democracias, eles twittam.

Precisaremos de algum tempo, mas o essencial está ai, tal qual candy crush algumas fases de nossas vidas começam e terminam no display de um smartphone.

Isso não é sobre liquidez apenas, não é um discurso contra a modernidade. Eu só queria escrever cartas, pintar paisagens e tomar meu trago de cachaça com calma. Isso é sobre velocidade e eu so queria um pouco de calma.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247