A mídia já derrubou, exilou e matou presidentes!

Há que desligarmos as TVs, rasgarmos os jornais, jogarmos no lixo as revistas. Tudo é lixo e canal de excrementos dessa elite entreguista e criminosa!Nosso lugar é nas ruas construindo a virada revolucionária da democracia, respeitosos às nossas diferenças e diversidades

Há que desligarmos as TVs, rasgarmos os jornais, jogarmos no lixo as revistas. Tudo é lixo e canal de excrementos dessa elite entreguista e criminosa!Nosso lugar é nas ruas construindo a virada revolucionária da democracia, respeitosos às nossas diferenças e diversidades
Há que desligarmos as TVs, rasgarmos os jornais, jogarmos no lixo as revistas. Tudo é lixo e canal de excrementos dessa elite entreguista e criminosa!Nosso lugar é nas ruas construindo a virada revolucionária da democracia, respeitosos às nossas diferenças e diversidades (Foto: Dom Orvandil)

Querida ex-aluna e Assistente Social Maíra Hosana, Campo Grande, MS

Os que somos cristãos engajados na história, como o foi Jesus de Nazaré, ao contrário do fantasma inventado pelas igrejas das bancadas da bíblia no Congresso Nacional, guardamos em nossa memória eucarística os gritos da massa que gritava "crucifica-o, crucifica-o".

Manipulada pelo poderio do império romano em conluio com a religião que enterrou no lixo o êxodo dos escravos que lutaram pela liberdade e pelo sonho de uma terra onde "emanava leite e mel", a massa inconsciente e sem razão, juntava suas vozes aos criminosos assassinos que procediam julgamento espúrio para matar o Inocente.

Diferentemente de Judas, que era uma corrente política e um indivíduo, que enfrentou sozinho a dureza do tribunal de sua consciência, a massa era composta por anônimos de razão informe e sem compromisso com a verdade e com a justiça.

Na época da virada da história antiga para a medieval não havia mídia, mas os opressores, desumanos cruéis, mentirosos, manipuladores, injustos e criminosos já agiam como os de hoje, com outros meios. Para a casta atual a mídia é um meio, o que importa são os resultados que buscam para se perpetrar no poder e auferir privilégios, pisando nos direitos da maioria, inclusive o direito à verdade e à justiça.

A opinião pública, para essa elite oculta mas operante, é apenas alvo de consumo de suas porcarias. Do ponto de vista comercial usam a mídia, geralmente canais de TV e de Rádio concessões públicas, como meios para engordar seus cofres usando o povo como cliente de seus produtos superfaturados (todos, sem exceção), à cata de lucros despropositados.

No campo econômico e político a minoria dominante quebra a coluna vertebral da razão popular para, com a sua consciência no chão, manobrar a sociedade que muda de nome ao ser chamada de eleitores, consumidores, telespectadores, leitores, "cidadãos de bem", estudantes, donas de casa, homens e mulheres de negócios, políticos etc, deixando de ser sujeitos que pensam, que raciocinam, que tomam decisões, para se transformar em massa informe, anônima e sem nenhum poder de influenciar. Milhões de pessoas dessa multidão não valem nada em relação ao que decidem os que mandam e que se empoleiram sobre todos.

É nesse meio que atua a mídia. Seus donos fazem parte dos ocultos que mandam e desmandam. A mídia exerce o papel de domesticar as multidões dóceis, que a tudo obedecem, sem nada fazer. Melhor para os senhores dominadores e manipuladores é quando as multidões se dividem, brigam entre si e possibilitam mais ainda que os poderosos façam em cima de todos o quem bem entendem.

É interessante que a massa obediente aos ditames dos senhores ocultos até desfaz de quem pensa, de quem denuncia, de quem luta para impedir que as trevas caiam sobre o mundo e para apressar o novo amanhã de um mundo de pessoas sujeitos pensantes e de posse da inteligência.

Cá com meus botões me lembro de ceias, festas e bebidas dos senhores donos do capital e da mídia, com suas caras brancas e avermelhadas, debochando do povo que acredita em tudo o que eles mostram em suas TVs, Rádios, jornais e revistas. Riem e chamam o povo de "essa gente", de babacas, de idiotas, de buchas de cão, de paus mandados e que assim será por muito tempo enquanto eles, os senhores brancos, mandarem no Estado, na economia, nos aparelhos políticos, nas religiões, nas instituições de ensino, em tudo.

Pois é, nessa noite levei um choque com o artigo de uma das vítimas do golpista Michel Temer, Paulo Moreira Leite, demitido da TV Brasil por se opor ao golpe e porque é um dos poucos e raros jornalistas críticos e decentes deste País.

No artigo (lê aqui) PML lembra de que João Goulart foi roubado numa pesquisa feita a pedido da Federação do Comércio de São Paulo, que demonstrava apoio amplo do povo ao Presidente derrubado. A pesquisa foi escondida e só conhecida 40 anos depois do golpe civil-militar assassino, que dava aprovação de 60% a Jango. O objetivo, ao esconder o levantamento favorável, foi o de passar à opinião pública a ideia mentirosa de que o mandatário da Nação era fraco e sem apoio popular.

Quer dizer, a Federação do Comércio de São Paulo, a FIESP, os bancos, a mídia, parte do judiciário, do PGR etc, hoje, são um bando de criminosos manipuladores como o sempre o foram, fazendo-nos todos de idiotas e recipientes de seus detritos nojentos e fétidos, dejetos de uma classe dominante cruel, desumana e injusta.

Citando o Professor Luis Antonio Dias, da PUC de São Paulo, em entrevista à TV Câmara, em 2014 – e isso é bom porque conta com o apoio da pesquisa e não com a opinião pessoal – PML registra os efeitos devastadores sobre a imagem de João Goulart por gerações futuras, como um presidente fraco e sem alicerce nas massas, mas, acrescento eu, dando também a ideia de que o povo brasileiro não pensa, não quer saber a verdade e tem raiva de quem a sabe. Disse Luis A. Dias: "Muitos historiadores, até dez anos atrás, ainda tinham essa ideia de que Goulart caiu porque era frágil, não tinha o apoio dos partidos e, sobretudo, da população".

E assim foi com Getúlio Vargas. Fustigado dia e noite por uma mídia safardana, irresponsável e partidária do roubo, da corrupção e da destruição dos direitos sociais, Getúlio morreu para não permitir o golpe.

Sem dúvidas, por detrás do gatilho do revólver que destruiu o coração de Getúlio se amontoavam as aves de agouro e golpistas, com o ex-comunista traidor Carlos Lacerda à frente, como a Globo e as outras mídias de hoje. A mídia e os poderosos assassinaram Getúlio contando com as emissoras de rádio e com os jornais para fazer o serviço sujo de um povo usado para gritar "crucifica-o, crucifica-o".

Não esqueçamos de que revistas, jornais e colunistas brasileiros chegaram a pedir que Dilma fosse assassinada e a aconselharam que a Presidenta se suicidasse. Tanto que a Presidenta afirmou que ela não é Getúlio, para se suicidar nem Jânio, para renunciar nem Jango para se refugiar no exílio.

Há que resistirmos a essa mídia lodaçal descarada, dos homens brancos e debochados, verdadeiros bandidos da economia e da democracia.

Há que desligarmos as TVs, rasgarmos os jornais, jogarmos no lixo as revistas. Tudo é lixo e canal de excrementos dessa elite entreguista e criminosa!

Nosso lugar é nas ruas construindo a virada revolucionária da democracia, respeitosos às nossas diferenças e diversidades.

Não basta que os setores organizados, como as centrais sindicais, os movimentos sociais combativos, os partidos de esquerda, os intelectuais e artistas consequentes, apaixonados pelo Brasil e pela justiça social, participem dos eventos contra o golpe.

É preciso que todos os homens e todas as mulheres saiamos para as ruas. É necessário que convençamos o povo, muitos até sob pressão, a rasgarmos os sofás em casa e atirarmos as novelas pelas janelas e sairmos às ruas para evitarmos o golpe com Michel Temer golpista e traidor à frente.

Fora Temer, membro da máfia golpista manipuladora desrespeitosa de nossa inteligência social e nacional!

Fora mídia, que mente e manipula pesquisas!

Fora todos os golpistas, eis que aurora da justiça social pede para nascer!

A alternativa a essa poderosa mobilização nacional será a crucificação da verdade, da justiça, da democracia, da soberania do Brasil, dos empregos, da fartura e do bem estar!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

Jair no divã de Freud

O cartunista Miguel Paiva encena uma improvável ida de Bolsonaro a um divã de psicanalista - e, nada mais nada menos, que ao maior dos psicanalistas, Sigmund Freud: "Freud - O senhor está sendo...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247