A questão mais urgente é conter Silveira

"Enquanto não houver uma decisão ele vai continuar corroendo a autoridade do Supremo", escreve o jornalista Alex Solnik

www.brasil247.com -


Condenado pelo STF por ataques ao STF, o deputado Daniel Silveira foi a atração principal das manifestações de ontem contra o STF no Rio de Janeiro.

Cometeu, inclusive, o sincericídio de dizer que estava armado num evento de rua pacífico. E estava em companhia de um sósia do viking que participou da invasão do Capitólio a 6 de janeiro do ano passado. 

Ou seja, ele continua a atacar o Supremo mesmo depois de ser condenado por atacar o Supremo. Reincide no crime. Age como se o indulto já estivesse valendo. E com a certeza de contar com a proteção ilimitada do presidente da República.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A provocação foi um sinal de alerta que fez o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco procurar o presidente do STF, Luiz Fux, na tarde de hoje. A resposta aos ataques do deputado e do presidente tem que ser uníssona, não só do STF, mas dos dois Poderes. Nisso, Fux e Pacheco estão de acordo. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A discussão gira em torno do timing do julgamento do indulto presidencial.

Enquanto ele não acontecer, as afrontas vão continuar e, com isso, a tensão institucional vai aumentar, que é tudo o que Bolsonaro quer para tentar melar as eleições. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No entanto, também é previsível supor que as afrontas e as provocações sigam ocorrendo mesmo depois do julgamento, seja qual for o resultado. 

Por essa razão, Fux está entre aqueles que defendem o protelamento da decisão para depois das eleições.

A questão mais urgente é conter Silveira. Enquanto não houver uma decisão ele vai continuar corroendo a autoridade do Supremo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

E não há melhor forma de contê-lo que julgar o mais rapidamente possível o indulto presidencial.    

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email