A verdadeira sentença de Lula será dada nas urnas

Já ficou claro que a condenação de Lula é política. O que precisa ser dito e feito, a partir de agora, é que a única coisa que pode fazer os planos sórdidos da direita escravocrata e usurpadora de direitos, irem por água abaixo, é uma revolução popular

Já ficou claro que a condenação de Lula é política. O que precisa ser dito e feito, a partir de agora, é que a única coisa que pode fazer os planos sórdidos da direita escravocrata e usurpadora de direitos, irem por água abaixo, é uma revolução popular
Já ficou claro que a condenação de Lula é política. O que precisa ser dito e feito, a partir de agora, é que a única coisa que pode fazer os planos sórdidos da direita escravocrata e usurpadora de direitos, irem por água abaixo, é uma revolução popular (Foto: Nêggo Tom)

Não há como negar que, da maneira como tudo se desenhava, a condenação de Lula, também em segunda instância, já era esperada. O que não era de esperar, foi alguns argumentos usados pelos relatores para legitimar a sentença a ele aplicada e ainda aumentar a sua pena, de nove para doze anos de prisão.

Não quero entrar no campo jurídico da coisa. Já ficou claro que a condenação de Lula é política. O que precisa ser dito e feito, a partir de agora, é que a única coisa que pode fazer os planos sórdidos da direita escravocrata e usurpadora de direitos, irem por água abaixo, é uma revolução popular. A força do povo é a sua maior arma, contra o mal político que está tomando conta do país. 

Sob a liderança de Michel Temer e com o apoio da nata da corrupção, os golpista estão certos de que irão sacramentar o golpe mais sujo da história política do país, aprovando a reforma da previdência, aplicando assim um golpe mortal em milhões de trabalhadores brasileiros. Mas, se você sabe quais são  os planos do inimigo para lhe abater, não tentará, ao menos, se defender? 

O atual governo, aponta um possível déficit na previdência, como o fator principal para se aprovar a reforma. No entanto, o mesmo governo perdoa bilhões em dívidas que os bancos têm com a mesma previdência. A Caixa Econômica Federal, de natureza pública, deve aproximadamente R$ 550 milhões à Previdência. O antigo Banco do Ceará (Bancesa) tem o compromisso de pagar uma dívida de R$ 1,683 bilhão. Já o Bradesco, o Banco do Brasil e o Itaú Unibanco tem débito de respectivamente, R$ 465 milhões, R$ 208 milhões e R$ 88 milhões.

Como podemos observar, Michel Temer e seus ratos aliados querem que o povo pague a dívida que instituições bancárias e outras empresas, têm com a previdência. Isso não lhe causa indignação? Isso não lhe faz querer sair da inércia que o sistema lhe impõe? O que falta para percebermos que a nossa resposta precisa ser dada nas ruas, na porta do congresso nacional, nas assembléias legislativas, nas câmaras municipais? É para lá que devemos ir, mostrar a nossa insatisfação.

Estamos sendo conduzidos feito gados, a um matadouro existencial e não reagimos? Mais uma vez eu pergunto: ver os nossos direitos sendo roubados e oferecidos de bandeja ao empresariado e ao capital estrangeiro, não lhe causa indignação? Você, que está comemorando a condenação de Lula, já parou para pensar que o seu atual presidente está envolvido até o pescoço em crimes de corrupção? E com provas concretas disso. 

Enquanto  juízes investigavam quanto custou a reforma do triplex de Lula, mas que não era do Lula, o braço direito de Temer, Geddel Vieira Lima, guardava em seu apartamento malas contendo 51 milhões de reais. E ninguém quer saber qual a origem do dinheiro? Não se fala mais no assunto. A prioridade era condenar Lula, depois cuidamos do resto. Disseram o mesmo quando tiraram a presidente Dilma do poder,  e estamos vendo como tudo piorou.

O deputado Jair Bolsonaro, logo após a sentença de Lula ser confirmada oficialmente, publicou um vídeo na sua página do Facebook, onde ele teve a indecência e o mau caratismo de dizer que, se não tivessem tirado a Dilma, hoje seríamos uma Venezuela. E aproveitou para criminalizar a esquerda, a culpando por toda a corrupção existente no país. Isso prova que Bolsonaro apoia o governo que aí está. Até porque, ele foi um dos parlamentares que apoiaram o golpe e também faz parte do grupo que pretende oferecer os direitos dos trabalhadores, de bandeja para o empresariado.

Bolsonaro acredita que a condenação de Lula aumenta as suas chances de se eleger presidente. Mas, essa resposta ele terá nas urnas. A multidão que saiu as ruas em apoio a Lula, deveria fazer com que ele se sentisse menos otimista. Mas, como já sabemos, ele não tem bom senso. E quem o segue muito menos. Lula, se candidato, será eleito. Se não for candidato, elege quem ele apoiar. Mas, isso só será possível, se o povo trabalhador desse país, para o qual Lula criou diversos projetos de inclusão social e políticas afirmativas, se mobilizar.

Lula foi condenado por achar que pobre deveria ter dignidade, que a filha do pedreiro poderia cursar a mesma universidade que a filha do patrão do seu pai. Lula foi condenado por achar que a seca no nordeste tinha que acabar e que as famílias miseráveis precisavam ser assistidas. Lula foi condenado por achar que as empregadas domésticas deveriam ter os mesmos direitos trabalhistas, como qualquer outro trabalhador e por ter despertado a auto estima daqueles que a elite sempre subjugou e atribuiu inferioridade. Lula foi condenado por permitir que o estudante de origem pobre fizesse intercâmbio no exterior e por ter criado dezenas de universidades e outras oportunidades de formação técnica para a qualificação dos "escravos" do sistema.

O estado mínimo que eles querem, é apenas para os mais pobres. É poder ignorar os menos favorecidos em nome da lei. Isso não pode ser aceito passivamente. É hora de reagir e de dar a nossa sentença. Em uma verdadeira democracia, a vontade do povo é soberana. E a maioria do povo quer Lula presidente. E assim será.  Basta o povo querer!

Basta! 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247