A vida das mulheres tem valor

O caráter patriarcal, racista e elitista do Estado nunca esteve tão evidente como agora. A luta contra os retrocessos é diária e de toda a sociedade, não é só das mulheres. Continuaremos na vanguarda da resistência contra a retirada de direitos, pela igualdade de oportunidades, por uma vida digna e sem violências

A vida das mulheres tem valor
A vida das mulheres tem valor


O ano mal começou e já contabiliza mais de 21 feminicídios e cerca de 11 tentativas de assassinato de mulheres. Os dados da Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul apontam que, em 2018, 117 mulheres foram mortas, 40,9% a mais do que o registrado no ano de 2017.

Não menos perversa é a violência praticada pelo Estado quando promove cortes nos programas sociais, como Minha Casa Minha Vida" que beneficia na grande maioria mulheres. Conforme a Pesquisa Nacional de Amostras de Domicílios (PNAD), de 2017, cerca de 40% dos lares são chefiados por elas.

No programa Bolsa Família, 88% das famílias inscritas são chefiadas por uma mulher. Porém, para Jair Bolsonaro, 30% dos beneficiados pelo programa não precisam dele, conforme afirmou à imprensa, durante o período eleitoral.

Em uma nação onde 12,9 milhões de pessoas estão fora do mercado de trabalho, sendo destas a maioria mulheres, uma fala dessas não poderia estar mais desconectada da realidade. Não surpreende, considerando que o mesmo votou pelo congelamento dos investimentos públicos em saúde e educação por 20 anos e afirma que uma mulher deve receber menos porque engravida.

Os efeitos disso são vistos todos os dias na mídia, com mulheres morrendo à espera de atendimento médico, dormindo nas filas na espera por vagas em creches e escolas públicas de Educação Infantil para seus filhos etc.

As primeiras medidas governamentais anunciadas, em níveis estadual e federal, contribuem para a ampliação do abismo social brasileiro e comprometem as novas gerações, através da retirada de direitos trabalhistas, sociais, o fim da aposentadoria e a privatizações de serviços essenciais.

O caráter patriarcal, racista e elitista do Estado nunca esteve tão evidente como agora. A luta contra os retrocessos é diária e de toda a sociedade, não é só das mulheres. Continuaremos na vanguarda da resistência contra a retirada de direitos, pela igualdade de oportunidades, por uma vida digna e sem violências.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247