Abaixo os abolicionistas do século XXI

Se fosse viva, talvez a princesa Isabel ficasse horrorizada com o que querem fazer com os trabalhadores brasileiros, impondo-os uma jornada de trabalho de 80 horas por semana. Querem mexer também na previdência social, prejudicando aposentados e pensionistas

Se fosse viva, talvez a princesa Isabel ficasse horrorizada com o que querem fazer com os trabalhadores brasileiros, impondo-os uma jornada de trabalho de 80 horas por semana. Querem mexer também na previdência social, prejudicando aposentados e pensionistas
Se fosse viva, talvez a princesa Isabel ficasse horrorizada com o que querem fazer com os trabalhadores brasileiros, impondo-os uma jornada de trabalho de 80 horas por semana. Querem mexer também na previdência social, prejudicando aposentados e pensionistas (Foto: Ricardo Fonseca)

No dia de 13 de julho  de 2016, fará 128 anos e dois meses que a Lei Áurea foi sancionada no Brasil, mas Isso só foi possível  por conta de uma longa batalha dos abolicionistas da escravatura. Até a sua promulgação vieram a Lei do ventre livre (veja aqui) e a Lei dos Sexagenários (veja aqui).

Se fosse viva. talvez a princesa Isabel ficasse horrorizada com o que querem fazer com os trabalhadores brasileiros, impondo-os  uma jornada de trabalho de 80 horas por semana (hoje pela CLT, são 8 horas diárias e 40 semanais). Querem mexer também na previdência social, prejudicando aposentados e pensionistas.

Essa é a principal  diferença de uma governo popular trabalhista, para o outro empresarial e escravista. "Todo o Homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social". Declaração Universal dos direito do Homem.

Criada em 1º de maio de 1943, durante o Estado Novo de Getúlio Vargas ( Dois anos antes foi criada a Justiça do Trabalho), a  Consolidação das Leis do Trabalho , que unificou a legislação trabalhista existente naquela época.  Veja aqui:

http://www.jusbrasil.com.br/topicos/10766433/decreto-lei-n-5452-de-01-de-maio-de-1943

Há 73 anos lutavam-se pelos direitos dos trabalhadores e o garoto Michel Miguel Elias Temer Lulia, o usurpador oficial da nação (hoje presidente provisório imposto) tinha apenas 3 anos de idade. Claro que  os seus progenitores nem imaginavam que aos 75 anos de idade, ele  teria  de lutar exatamente para derrubar essas conquistas, para poder agradar os grandes grupos econômicos que o guindou para esse comando do País.  

Anos mais tarde com o suicídio de Getúlio e o golpe preventivo de Lott, veio a posse do presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, o 20° Presidente  da República do Brasil. Com os seus “Cinqüenta anos em cinco”, Juscelino fez o Brasil crescer e se desenvolver. Foi lançado, então, o Plano de Metas, que previa 31 metas distribuídas em seis grupos: transporte, energia, alimentação, indústria de base, educação e a construção de Brasília.

Nos dias atuais para conter a crise econômica ,  o pobre trabalhador e previdenciário é que são penalizados, nunca os empresários.  Pelo que  parece,  o Sr. Temer pediu ajuda para o muy amigo Aécio, para o empréstimo de suas tais “medidas impopulares”, anunciada e automaticamente escondida após repercussão negativa, nas eleições de 2014.  Ou seja para pagar o pato da Fiesp e da CNI, o trabalhador assalariado é que terá o glorioso ônus. Podre isso, muito mais do que impopular, essas medidas são  desumanas.

Por que não criam 03 jornadas de trabalhos ( hoje são 02)  de 8 h por dia independentes entre si? Manhã (de 8h às 16h), tarde (de 16h às 24h) e noite (24h às 08h)? Quem quiser poderá escolher o melhor turno para trabalhar. Com uma ressalva, o trabalho noturno teria um  adicional especial de 20% de insalubridade.  Essa medida iria gerar mais empregos e renda, facilitaria a vida dos trabalhadores (que poderiam escolher e fazer melhor o seus horários) e possibilitaria que eles tivessem mais tempo para fazer outras atividades, como estudar ou praticar atividades físicas e sociais. Além de diminuir o estresse diário causado pelo trânsito caótico nas grandes cidades.

O Brasil tem recursos para combater a crise, não precisa mexer na previdência social e nem nos direitos trabalhistas. A descoberta da roda é fazer uma ampla reforma tributária e otimizar a aplicação desses recursos arrecadados.

Os brasileiros não vão permitir que nenhum Governo, Congresso ou até o STF, os obrigue a perder direitos  essenciais para a sua sobrevivência digna. O que há no Brasil é uma péssima administração dos recursos públicos, que são desviados para atividades obscuras. Ou seja, quem tem que ser penalizada é a corrupção daqueles que querem transformar o País numa província industrial escravocrata.

Para o dono da CSN e vice decorativo da Fiesp , Benjamin Steinbruch, ninguém precisa de 1h de almoço. Ele usou um modelo americano no qual trabalhadores comem sanduiche em 15 minutos e trabalham durante a refeição. Retórica sem noção!!! Querem copiar um modelo que acima de tudo é prejudicial a saúde humana, pela qualidade da alimentação apresentada, além de engordar o trabalhador,  esses alimentos  causam doenças de todos os tipos, principalmente arteriais e diabetes.  Mas a aristocracia midiática brasileira está preocupada com a saúde dos trabalhadores (pão com mortadela) por eles escravizados? Jamais!

Pelos dados de 2012, o salário médio de trabalhador americano é de R$ 23,73 por hora e são em média 34,5 horas trabalhadas semanalmente. Ou seja , num mês de trabalho, os norte-americanos têm um salário médio de US$ 3.274,74, algo hoje em torno de R$ 6.549,48. Bem diferente dos minguados R$ 880,00 do salário mínimo brasileiro, uma discrepância de R$ 5.669,48 a mais do que se ganha por aqui.  Já em Londres a hora trabalhada equivale a 7,20 libras, algo em torno de R$ 4, 3694 na cotação de máxima de hoje. Quer dizer que, em 30 dias, elas equivalem a 1.728 Libras ou a R$ 7.550,32. Conclui-se que para o mercado capitalista,  é melhor se trabalhar na Inglaterra do que nos Estados Unidos. Bola fora pro Steinbruch!!!

No século XIX lutavam-se para defender e garantir direitos aos escravos, já nesse século midiático XXI, lutam-se para escravizar e diminuir os direitos conquistados. Viva aqueles homens vulgarmente chamados de abolicionistas daquela época  e, abaixo esses nossos abolicionistas paraguaios de hoje. Nada mais a dizer senão  #ForaTemer  e #VoltaDilma . Ruim com o PT(?) pior com o PMDB.(!). 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247