Abra a boca, Cunha! O País precisa saber se o STF do Moro é republicano e justo

A Lava Jato pode até ser considerada uma operação para prender corruptos e corruptores, mas seu propósito é prender o presidente mais popular do Brasil

Brasília- DF 26-04-2016 Presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha durante sessão da câmara. Lula Marques/Agência PT
Brasília- DF 26-04-2016 Presidente da câmara dos deputados, Eduardo Cunha durante sessão da câmara. Lula Marques/Agência PT (Foto: Davis Sena Filho)

Eu pensei em iniciar este artigo a listar as acusações que pesam contra o deputado Eduardo Cunha por meio de delatores, muitos deles criminosos conhecidíssimos da polícia e dos tucanos, a exemplo do doleiro Alberto Youssef, que, apesar de sua ligação umbilical com o PSDB, somente delata políticos do PT e da antiga base do governo trabalhista de Dilma Rousseff, que sofreu um golpe bárbaro e bananeiro para que um sujeito, vulgo michel temer (seu nome é sempre escrito em minúsculo por se tratar de um pigmeu moral, político e citadino), um usurpador do poder assumisse a Presidência, a implementar um governo espúrio e de caráter fascista e predador do patrimônio público, porque criminoso, ilegítimo e totalmente sem credibilidade.

Contudo, se eu fosse listar os crimes pelos quais é acusado o deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara afastado, quando há muito tempo deveria estar preso, conforme as acusações que lhes são imputadas pela PGR e pela Comissão de Ética do Legislativo, eu não terminaria este artigo. Então, vou direto ao assunto: Abra a boca, Cunha! O Brasil e seu povo precisam saber se o STF do Moro é republicano e justo, porque a verdade é que parcela grande e importante da sociedade brasileira está a considerar que os juízes do Supremo envergonham a magistratura nacional.

E a desconfiança não se resume a apenas no que concerne aos juízes estarem envolvidos com o golpe bananeiro e terceiro-mundista, que tem a cara do atraso e do retrocesso da casa grande. É mais profundo, pois se os magistrados realmente se tornaram golpistas e asseguraram que a Vara de Torturas do juiz de província, Sérgio Moro, pode agir e fazer o que quiser e lhe aprouver, inclusive a cometer crimes como o vazamento de áudio da presidenta Dilma Rousseff com o ex-presidente Lula, dentre outras arbitrariedades dignas de ações de verdugos.

Se esta é a dura e surreal realidade que se apresenta, certamente que será necessário às pessoas se calarem e se recolherem às suas casas, porque, obviamente, estamos a vivenciar uma ditadura de togados, desprovidos de votos, portanto, de soberania popular, que resolveram se partidarizar e intervir na política para impedir, indevidamente e inconstitucionalmente, que o PT continue no poder central, bem como Dilma tenha sua administração engessada, como aconteceu, até ser deposta por um golpe selvagem e violento de direita, que também tem por finalidade prender o Lula e, com efeito, afastá-lo da política, além de impedi-lo de ser candidato a presidente.

O STF, na pessoa do juiz Teori Zavascki, devolveu o processo de Lula, no qual o político trabalhista é acusado de ser dono de uma chácara que não é dele e de um apartamento que também não é dele, como já foi comprovado, mas que, evidentemente, "não vem ao caso", como gosta tanto de afirmar o juiz de primeira instância, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, quando se trata de acusações contra os tucanos. Por sua vez, Moro tem parentes de primeiro grau ligados, umbilicalmente, ao PSDB, sendo que seu pai é fundador da agremiação tucana em Maringá e sua mulher foi assessora jurídica da agremiação tucana no Paraná.

Entretanto, que sejam, não importa, porque o que importa, deverasmente, é que a Justiça deveria obrigatoriamente, pois seu dever intransferível e inquestionável, ser isenta, justa e republicana, fatores estes que, sobremaneira, não acontecem. Temos, para a desgraça do Brasil, uma Justiça, um MPF e uma PF, ou seja, um sistema judiciário totalmente envolvido com o processo político brasileiro, a interferir danosamente na economia brasileira, a ter as estatais como alvos principais para que sejam desconstruídas e entregues às traças para que sejam vendidas o mais rapidamente possível.

A estratégia da direita golpista e, irremediavelmente, colonizada, resume-se a favorecer as empresas de construção estrangeiras, bem como outras de atividades diferentes, para que entrem no poderoso e imenso mercado brasileiro, a passar a dominá-lo e, por sua vez, prejudicar terrivelmente as empresas brasileiras, muitas delas multinacionais, que, além de terem conhecimento e o domínio de tecnologias e pesquisas científicas sofisticadas, como a construção dos submarinos nucleares, somente para ficar neste setor, também propiciam a entrada de recursos financeiros para movimentar a economia brasileira e a gerar empregos.

A gringada malandra e esperta tal qual a um punguista, sabe que a economia brasileira é ampla e diversificada, principalmente no que tange às empresas públicas e às universidades federais, dois segmentos dos mais importantes para a independência e autonomia do Brasil, que agora estão à mercê de políticos e empresários que integram um governo extremado à direita do espectro político e ideológico, que somente tem compromisso com a iniciativa privada, que deseja um país sempre na rabeira e submisso aos interesses do grande capital financeiro e dos governos dos países desenvolvidos, especialmente os Estados Unidos, que mais uma vez voltam a ver essa "elite" cucaracha como "los macaquitos", por saberem que temos uma burguesia dona da casa grande, de espírito e alma pária, colonizada, provinciana, subalterna, e, mais do que tudo, golpista.

A verdade é que a casa grande deste País não se dá o respeito e, com efeito, jamais o teve ou o terá. "A burguesia fede", como dizia Cazuza, assim como subserviente não se importa em tirar os sapatos em aeroportos, como o fez o ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, do desditoso e sombrio Governo de FHC -- o "Príncipe" da Privataria e agora também conhecido como o "Príncipe" do Golpe, que acaba de sacramentar, definitivamente, o enterro de sua biografia, que já estava há muito tempo jogada no lixo das privatizações de seu tempo tenebroso e de trevas, a edificar exclusões sociais e depredações contra o patrimônio do País.

Para "adocicar" a boca pelo trabalho sujo dessa elite que viceja no Brasil como erva daninha, em troca os estadunidenses permitem que esses caipiras (no mau sentido) possam se esbaldar feito baratas de esgoto, a sair do ralo, em Miami e Orlando. Triste sina! Ainda bem que a história não permite que a burguesia nacional e submissa à plutocracia internacional minta. Eles devem ficar a rir da nossa cara por termos uma "elite" tão sem vergonha e predatória, além de perversa e de índole escravagista, que jamais em sua história teve a decência e a altivez de pensar o Brasil, como já falei, recorrentemente, para desenvolvê-lo, assim como emancipar seu povo para libertá-lo das amarras e correntes do subdesenvolvimento.

É neste contexto que se inclui e se expõe a crise política brasileira, que está a enfrentar um golpe criminoso contra as instituições republicanas, a democracia e o Estado de Direito. Trata-se da maior e mais grave fraude e farsa política dos últimos 50 anos e promovidas por um consórcio de direita formado pela imprensa dos magnatas bilionários, pelo sistema judiciário (STF-PF-MPF), que, incrivelmente, partidarizou-se, escolheu lado, cor ideológica e, inacreditavelmente, pois uma desfaçatez, age e atua de forma seletiva.

São tão perceptíveis as ações de juízes, procuradores e delegados, no que tange a escolher os que serão blindados e poupados e os que serão levados à guilhotina, com direito à execração pública, à desconstrução de suas imagens e da moral, além de serem denunciados por delações de pessoas que estão presas, sendo que muitas delas milionárias e bilionárias, que entregam até as mães e os filhos depois de participarem de inúmeros inquéritos durante meses a fio, muitos deles direcionados.

Todos esses episódios draconianos relatados e publicizados conforme os advogados dos presos e de notícias na internet, que não permitem que a grande imprensa fale sozinha por meio de suas versões nada confiáveis, para que se entregue autoridades, parlamentares e todos aqueles que se relacionaram com os governos petistas, em uma verdadeira e inquestionável caça às bruxas, como se vê há tempos como também agora, sendo que os demotucanos do PSDB, do DEM, do PPS e dos partidos derrotados democraticamente quatro vezes consecutivas pelo PT são protegidos, em uma blindagem criminosa contra os interesses da sociedade brasileira e a fazer do Direito uma ferramenta apropriada para perseguir e punir aqueles que são considerados inimigos.

Porém, salutar é parar com delongas, e logo asseverar: a Lava Jato pode até ser considerada uma operação para prender corruptos e corruptores, mas seu propósito é prender o presidente mais popular do Brasil, que, indelevelmente, ficará em lugar de destaque em sua história, porque tem a grandeza de Getúlio Vargas, pois governou como estadista e a dialogar com todos os segmentos da sociedade, além de ter governado para todos os brasileiros, inclusive para os ricos da Fiesp, da Firjan, do agronegócio, dos bancos e da pequena burguesia, que vem a ser a reacionária e conservadora classe média, marcada historicamente, para sua "glória", pelo apoio ao golpe civil-militar de 1964.

Querem prender o Lula, que não roubou tal qual a Dilma, mas lutam para procrastinar a prisão de Eduardo Cunha, que se abrir a boca acaba com o usurpador e ilegítimo michel temer, um político já de memória infausta antes mesmo de cair de podre. Enquanto isso o juiz Sérgio Moro, que surrealisticamente manda mais do que qualquer autoridade deste País, o que é despropósito e acinte, continua a servir como funcionário padrão das Organizações(?) Globo, porque para os irmãos Marinho e o oligopólio que eles controlam tal juiz "Faz Diferença". E como faz... Como também gosta de ir a conviscote de candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, na pessoa de perfil yuppie da década de 1990, que atende pelo nome João Dória, que vem a ser uma Ana Maria Braga de saia e neoliberal.

Sérgio Moro é político de direita. Tanto é verdade que ele cometeu crime de segurança nacional ao dar publicidade às conversas de Lula com Dilma, com a finalidade de impedir que o líder trabalhista assumisse a chefia da Casa Civil, além de tentar criminalizar Dilma Rousseff, pois seu ato desastroso e politicamente golpista visava dar uma conotação de conspiração contra a Lava Jato, bem como não permitir que Lula tentasse restabelecer a bancada governista e, por seu turno, evitar a aprovação da admissibilidade do impeachment (golpe) contra uma mandatária eleita com 54,5 milhões de votos e que jamais incorreu em crime de responsabilidade.

Moro, assim como o STF, está envolvido com o golpe. Indubitavelmente. Gilmar Mendes, juiz que degrada a Suprema Corte e envergonha os garantistas e legalistas do País, porque respeitam o jogo democrático e o Estado de Direito, permitiu ao juiz de província que Lula fosse empossado, a desrespeitar o relator Teori Zavascki, pois responsável pelo processo. Moro é ligado a procuradores de direita que somente se interessam em investigar e denunciar o PT, a "esquecer", propositadamente e estrategicamente de efetivar o mesmo tratamento aos políticos do PSDB, DEM e PPS. E por quê? Fácil a resposta. Porque no Brasil o STF, o MPF, a PF e a Vara do Moro não são republicanos e justos.

Não são porque esses setores inconvenientemente partidarizados e ideologizados do Estado criaram castas de criminosos e também de cidadãos. É para deixar qualquer um de boca aberta, mesmo ser for um cretino. Aqui a Justiça e o sistema judiciário que dá sustentação a ela criou sujeitos inimputáveis. É o caso dos políticos do PSDB e do DEM, que de forma alguma são processados e presos, a despeito de inúmeros deles terem sido delatados e acusados de cometer crimes, pois envolvidos até a medula em diversos escândalos, a exemplo da listas de Furnas e da Odebrecht, bem como, evidentemente, são as mesmas empreiteiras que financiaram as campanhas do PT e também as do PSDB.

Entretanto, as do PT são taxadas seletivamente como propinas, enquanto as arrecadações do PSDB e do DEM são consideradas pelos nossos valorosos, puros e sérios varões de Plutarco como doações recebidas por empresários honestos e dignos da pureza dos santos. Durma-se com um barulho desse. Inaceitável. Esses caras togados, ao que parece, consideram todo mundo idiota, bem como recebem o respaldo da imprensa dos coronéis midiáticos que são investigados em inúmeros processos, mas que não saem das prateleiras e dos arquivos empoeirados do sistema judiciário, que luta, diuturnamente, para prender o Lula, quiçá a Dilma e levar de roldão qualquer tentativa de candidatura majoritária do PT.

Eduardo Cunha está solto por causa do STF. O Supremo e seus juízes de capas pretas e distantes dos interesses do povo receberam, recentemente, um aumento de quase 80%, que foi negado por Dilma Rousseff. A mesma Dilma que pediu ao Congresso para aprovar um déficit de R$ 70 bilhões e que virou um "escândalo" no Congresso e na imprensa corrupta e sonegadora de impostos dos magnatas bilionários, que combatem a ferro e fogo os mandatários do PT desde que eles assumiram o poder em 2003.

Pois é... Assim que a banda toca. michel temer (a relembrar: o nome do golpista é sempre escrito em minúsculo por se tratar de um traidor e anão moral, político e citadino) teve aprovada pelo Congresso mais conservador e corrupto de sua história, além de referendar um golpe, permissão para um rombo fiscal de 170,5 bilhões em 2016, ou seja, R$ 100 bilhões a mais do que Dilma, que está a ser deposta do poder por causa de pedaladas fiscais, que praticamente todos os presidentes anteriores a ela cometeram, bem como quase todos os governadores se utilizam da mesma ferramenta fiscal e contábil, sendo que o relator do golpe, o sujeito indescritível, senador Antonio Anastasia (PSDB), quando governador de Minas Gerais pedalou mais que o campeão olímpico ou mundial de ciclismo. Hipocrisia e vilania aplicadas diretamente na veia.

O Supremo é o maior culpado do golpe, que poderia ser evitado, sem sombra de dúvida. A imprensa de mercado, o juiz "Faz Diferença" do Paraná e seus áulicos do MPF e da PF que os acompanham em sua trilha rumo à prisão de Lula apenas refletem as omissões, conveniências e cumplicidades do Tribunal mais poderoso do País, cujos juízes, estranhamente, não impediram o golpe de estado travestido de legal e legítimo, bem como deixaram o deputado Cunha a fazer até ameaças e a nomear pessoas no governo do autocrata Amigo da Onça -- vulgo michel temer --, o maior traidor da história do Brasil nas últimas décadas. O STF está a ser observado pela sociedade. Ela está de olho e quer saber se o juízes são justos e republicanos. É isso aí.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247