Adeus, PHA

"A morte de Paulo Henrique Amorim, nesta manhã fria de quarta-feira, deixa em mim uma sensação amarga de orfandade", escreve Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia; "Sem Paulo, tudo ficará mais triste e difícil. Mas, como ele bem sabia, continuaremos indo em frente"

(Foto: Reprodução)

Por Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia

A morte de Paulo Henrique Amorim, nesta manhã fria de quarta-feira, deixa em mim uma sensação amarga de orfandade. 

Paulo era uma amigo temporão, nos encontramos na criação do movimento de blogueiros progressistas, o Blogprog, em 2010. Juntos, participamos, como conselheiros, da criação do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, em São Paulo.

Paulo vinha, como eu, das entranhas de uma mídia que se voltava, progressiva e agressivamente, contra os governos populares de Lula e Dilma. Ao se posicionar, nunca foi perdoado.

Morreu sob pressão de dezenas de processos judiciais movidos por todo tipo de canalha apoiado por outros canalhas, sobretudo jornalistas que o odiavam por lhes invejar a coragem e a independência. 

Sem Paulo, tudo ficará mais triste e difícil. Mas, como ele bem sabia, continuaremos indo em frente.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Conheça a TV 247

Mais de Blog

blog

Cabaços

Precisava de alguma aventura. Não suportava mais a bruaca martelando no seu ouvido que era um inútil. Uma ingrata que nunca trabalhou na vida. Ele não merecia. Fez intercâmbio, fritou hambúrguer...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247