Alvim tem que ser preso por divulgação do nazismo

"A lei 7.716/89 prevê no parágrafo 1º. do artigo 20 o 'crime de divulgação do nazismo'. A pena é de reclusão de dois a cinco anos e multa", escreve Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia, após o secretário da Cultura, Roberto Alvim, copiar as palavras do ministro da Propaganda de Hitler, Joseph Goebbels em relação à arte alemã

(Foto: SECOM | Reprodução)

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, pediu o afastamento do secretário da Cultura, Roberto Alvim, por ter declarado que “a arte brasileira da próxima década será heroica ou imperativa”, no que copiou ipsis literis as palavras do ministro da Propaganda de Hitler, Joseph Goebbels em relação à arte alemã.

Maia está certíssimo. Enxotá-lo do governo deve ser a primeira providência do presidente Bolsonaro. Se não o fizer, será conivente com o crime de seu subalterno.

Mas demitir apenas ainda é pouco. A lei 7.716/89 prevê no parágrafo 1º. do artigo 20 o “crime de divulgação do nazismo”.

A pena é de reclusão de dois a cinco anos e multa.

Não se pode tratar de forma omissa ou leniente a apologia de um regime genocida, responsável por 60 milhões de mortes na II Guerra Mundial, não só de judeus, mas de todos os que sofreram as consequências da hecatombe provocada pelo psicótico e assassino Adolf Hitler.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247