Apitaço do MBL no STF pode ter efeito inverso

"Inconsoláveis com a decisão do STF que permite o fatiamento das ações penais decorrentes da Operação Lava Jato, e consequentemente subtraem do juiz Sergio Moro e do ministro Teori Zavascki (no caso dos que têm foro especial) o monopólio dos processos, alguns movimentos de rua programam para esta quarta-feira um apitaço na porta do Supremo Tribunal Federal", diz a colunista Tereza Cruvinel; no entanto, ela alerta que "ministros do STF têm mandato vitalício e se há alguma coisa que detestam é serem pressionados"

"Inconsoláveis com a decisão do STF que permite o fatiamento das ações penais decorrentes da Operação Lava Jato, e consequentemente subtraem do juiz Sergio Moro e do ministro Teori Zavascki (no caso dos que têm foro especial) o monopólio dos processos, alguns movimentos de rua programam para esta quarta-feira um apitaço na porta do Supremo Tribunal Federal", diz a colunista Tereza Cruvinel; no entanto, ela alerta que "ministros do STF têm mandato vitalício e se há alguma coisa que detestam é serem pressionados"
"Inconsoláveis com a decisão do STF que permite o fatiamento das ações penais decorrentes da Operação Lava Jato, e consequentemente subtraem do juiz Sergio Moro e do ministro Teori Zavascki (no caso dos que têm foro especial) o monopólio dos processos, alguns movimentos de rua programam para esta quarta-feira um apitaço na porta do Supremo Tribunal Federal", diz a colunista Tereza Cruvinel; no entanto, ela alerta que "ministros do STF têm mandato vitalício e se há alguma coisa que detestam é serem pressionados" (Foto: Tereza Cruvinel)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Inconsoláveis com a decisão do STF que permite o fatiamento das ações penais decorrentes da Operação Lava Jato, e consequentemente subtraem do juiz Sergio Moro e do ministro Teori Zavascki (no caso dos que têm foro especial) o monopólio dos processos, alguns movimentos de rua programam para esta quarta-feira um apitaço na porta do Supremo Tribunal Federal. Ou o mais próximo que conseguirem chegar das colunas do STF. Anunciam o ato alguns dos grupos que participaram dos últimos protestos contra o governo e a favor do impeachment da presidente.

O que eles desejam é um recuo do STF que garanta toda força a Moro.  O que eles não estão levando em conta é a diferença entre um ministro do STF e um deputado ou senador, destes que estão acostumados a intimidar nos protesto e nas escaramuças nos salões do Congresso. Um parlamentar é escravo do voto. Tem medo da rua.  Os ministros do STF têm mandato vitalício e se há alguma coisa que detestam é serem pressionados.  

Além de não conseguirem a revogação da decisão que tanto entristeceu os adoradores de Moro, inclusive as revistas semanais, o apitaço dos meninos pode levar a maioria do STF a radicalizar no fatiamento da Lava Jato.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247