Armas do golpe

É pau, é Pec, é o fim do caminho. É o resgate do tronco, é um povo sozinho. É um caco de vida, é a isca no anzol. É o açoite, é o corte, é o aço, é o cerol. É a esperança num canto, é um cipó de madeira. Cafundó, aldeia da colônia primeira...

É pau, é Pec, é o fim do caminho.

É o resgate do tronco, é um povo sozinho.

É um caco de vida, é a isca no anzol.

É o açoite, é o corte, é o aço, é o cerol.

É a esperança num canto, é um cipó de madeira.

Cafundó, aldeia da colônia primeira.

 

É cabeça de vento rolando a ribanceira

É o retrocesso profundo, você queira ou não queira.

É batata a dória, é a Alckmia certeira.

É o arroz a la Grecca, é o jantar da nojeira.

É o pobre perdendo, é conversa trincheira.

Das armas do golpe, é o início da feira.

É o tripé, é a união, é a marca da sujeira.

Tucaninho na mão, cunha na atiradeira.

 

É o congresso no céu, é o supremo no chão.

É um Aécio, é um Moro, é uma justa ilusão.

É uma vaga no fosso, é o fies no caminho.

É o fundo poço, é um povo mansinho.

 

É um strike, é um lego, é uma tonta, é um tonto.

É um pingo secando, é uma afronta, é um espanto.

É um peixe indigesto, é um pré-sal temperando.

É um navio negreiro, é o tirano chegando.

É a lenha, é a brasa, é a zika, é a picada.

É o bagaço da massa estirado na estrada.

É o enfeite da casa, é a primeira dama.

É o apoio comprado, é grana, é a grana.

 

É um pasto, é um entulho, é um rato, é um Serra.

É um barranco, é um mergulho no fundo da terra.

São as armas do golpe ferindo a nação

É promessa de morte na constituição.

 

É pau, é Pec, é o fim do caminho.

É um fundo de poço, é um povo sozinho.

É uma cobra picando, é Michel, é José.

É um deputado na mão, é um aliado no pé.

São as armas do golpe ferindo a nação

É um tiro na saúde e na educação.

 

É pau, é Pec, é o fim do caminho.

É um fundo de poço, é um povo sozinho.

É um power, é um point, um só alvo, uma ré.

É uma pena de morte pra punir a ralé.

São as armas do golpe ferindo a nação

É promessa de morte na constituição.

 

*Paródia de "Águas de Março", de Tom Jobim.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247