Atleta olímpica é chamada de ‘vagabunda petista’

No fundo há nessa sociedade uma imensa falta de solidariedade, cidadania e respeito aos direitos dos outros. É como se vivêssemos dentro de uma máquina que alimenta indivíduos envenenando-os, moldando-os, repetidamente, sempre

No fundo há nessa sociedade uma imensa falta de solidariedade, cidadania e respeito aos direitos dos outros. É como se vivêssemos dentro de uma máquina que alimenta indivíduos envenenando-os, moldando-os, repetidamente, sempre
No fundo há nessa sociedade uma imensa falta de solidariedade, cidadania e respeito aos direitos dos outros. É como se vivêssemos dentro de uma máquina que alimenta indivíduos envenenando-os, moldando-os, repetidamente, sempre (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Num país com políticos do porte de Jair Bolsonaro, Eduardo Cunha e com grande parte do PIB político brasileiro suspeito ou denunciado em casos de corrupção, ataques e demonstrações de intolerância que ocorrem nas ruas, bares e restaurantes devem ser combatidos, mas não podem ser considerados casos isolados, estranhos, extraordinários, pois ocorrem constantemente.

Mas deve ser combatido, exposto e criticado. Ora, quando um parlamentar ataca movimentos sociais e minorias, ele influencia e repete de alguma forma o pensamento de uma parte da sociedade. E são os nossos representantes em todas as instâncias do Legislativo a nossa cara, exatamente o DNA da sociedade brasileira.

No fundo também há nessa sociedade uma imensa falta de solidariedade, cidadania e respeito aos direitos dos outros. É como se vivêssemos dentro de uma máquina que alimenta indivíduos envenenando-os, moldando-os, repetidamente, sempre. E cria a intolerância, a falta de respeito ao espaço do outro, as leis que determinam a boa convivência e civilidade.

A última vítima foi a nadadora Joanna Maranhão. Ela usou o seu Facebook para dizer que foi chamada de 'vagabunda petista' simplesmente porque pediu passagem ao motorista de um carro estacionado irregularmente, enquanto voltava para casa, em uma ciclovia na cidade de São Paulo.

Joanna é pernambucana e está classificada para participar de sua quarta olimpíada

Leia abaixo a postagem da nadadora:

"Voltando pra casa, pedalando minha bike, fui obrigada a parar na ciclovia porque mais uma vez um carro estava estacionado em frente ao restaurante Crystal (uma pizzaria de gente rica). Pedi ao motorista que tirasse seu veículo pois ali era proibido para carros, quando ele respondeu: "você vai esperar ter vaga no estacionamento. Ta achando que isso é o problema do país? Vagabunda petista". Quem me conhece sabe que sou sangue quente, mas a agressividade desse jovem me pegou tão de surpresa, que eu fui embora e comecei a chorar. Triste situação, triste realidade, maldita polarização'

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email