Baluarte da libertação nacional, do socialismo e da paz mundial

A questão em foco não é se a China é exemplo ou modelo a ser seguido por outros países, mas se as políticas levadas a efeito pelo centenário partido que dirige a sociedade chinesa cumpriram os objetivos proposto e credenciam o país para novas conquistas, escreve o jornalista José Reinaldo Carvalho, editor internacional do Brasil 247

www.brasil247.com - Medalha 1º de Julho, oferecida aos militantes mais destacados do PCCh por ocasião do centenário de fundação
Medalha 1º de Julho, oferecida aos militantes mais destacados do PCCh por ocasião do centenário de fundação (Foto: Global Times)


Por José Reinaldo Carvalho - Transcorre neste 1º de julho o centenário da fundação do Partido Comunista da China, festejado com grande alegria pelo povo chinês e seu governo. 

A fundação do Partido Comunista da China foi o passo inicial para reverter o trágico destino do povo chinês e lançou as bases para que eles pudessem desfrutar de seus direitos básicos. 

Os primeiros marxistas na China, incluindo Chen Duxiu, Li Dazhao e Mao Zedong, compreenderam naquele ato fundador a estreita conexão entre libertação, independência e os interesses do povo. Eles sabiam bem que somente por meio da revolução o povo chinês poderia estabelecer e manter seus direitos, e que somente por meio da revolução da nova democracia e posteriormente o socialismo a China poderia se reerguer e seu povo sair da pobreza e da humilhação a que tinha submetida pelo regime semicolonial e semifeudal. 

Ao celebrar este aniversário, o povo chinês comemora o surgimento da vanguarda política dos trabalhadores e de todo o povo chinês, que ao longo dos anos desempenhou papel decisivo na luta de libertação nacional e em seguida na construção do socialismo na grande nação asiática.

Os comunistas chineses souberam interpretar e incorporar o espírito e os valores nacionais da luta pela República Democrática liderada pelo Dr. Sun Yatsen. Souberam unir esses valores ao pensamento socialista científico próprio do Partido Comunista China.

Foi a fundação do Partido Comunista da China, a 1º de Julho de 1921, que criou as condições subjetivas para abrir perspectivas históricas ao povo chinês e levar adiante o desenvolvimento da revolução. Nessa luta foi decisivo o papel criador das massas, a direção política e ideológica, organizativa e militar dos comunistas e o papel do Grande Líder Mao Tsetung.

O surgimento do Partido Comunista da China foi um acontecimento histórico, a partir do qual a história da China alterou o seu curso. 

A geração que celebra o primeiro centenário do Partido Comunista da China é legatária do pioneirismo, da audácia, da lucidez, do heroísmo, da originalidade e criatividade daqueles que o fundaram em 1921, características marcantes que estão presentes nos atuais membros e dirigentes do Partido Comunista da China. 

O Partido Comunista da China foi fundado como resultado de um processo de fusão entre o marxismo-leninismo e o movimento popular e operário da época. Guiado por uma teoria de vanguarda, o Partido Comunista da China assumiu a direção do processo revolucionário e desbravou caminhos desconhecidos.

 Uma grande virtude do Partido Comunista da China foi conduzir a revolução tendo o marxismo-leninismo como referência teórica e tomando em consideração as peculiaridades nacionais, a particularidade de cada momento e etapa. A liderança do Partido Comunista da China teve larga visão estratégica, flexibilidade tática e capacidade de condução da luta. Tamanha habilidade e discernimento fizeram com que o Partido unisse o povo chinês e formasse a grande coalizão de forças políticas para enfrentar o inimigo comum, sobretudo nas condições especiais da ocupação japonesa.

Com espírito inovador, o Partido analisou em profundidade a formação social concreta da China e elaborou a estratégia da revolução em etapas, a primeira das quais foi a Revolução da Nova Democracia, por meio da guerra popular prolongada, cuja característica peculiar foi o cerco das cidades pelo campo. Este foi um importante aporte teórico dos comunistas chineses ao desenvolvimento criador do marxismo-leninismo e uma experiência prática que deixou marcas indeléveis na história da China.

A vitória da Revolução Chinesa, obra do povo e do Partido, foi um grande acontecimento histórico na trajetória do povo chinês rumo à sua emancipação nacional e social. Realizada no âmbito da guerra de resistência contra o Japão, constituiu também uma importante contribuição à luta antifascista mundial e à vitória da democracia e da paz no mundo.

 Um dos aspectos mais destacados da linha política do Partido Comunista da China durante a revolução, para além da originalidade na formulação de uma orientação própria, e que persistiu nos períodos seguintes, de acordo com os novos desafios, é a linha de massas. Durante a revolução, enfrentando poderosos inimigos, foi a ligação com as massas que assegurou a força do Partido e do Exército Popular. As complexas condições em que se desenvolveu a revolução só puderam ser enfrentadas desenvolvendo indissolúveis laços com as massas populares.

Este princípio e método permaneceram como traço distintivo do exercício do papel de vanguarda do Partido Comunista da China durante a construção do socialismo. Uma das chaves do sucesso do Partido foi manter-se enraizado nas massas populares. Foi a chave do sucesso durante a revolução e continua sendo na construção do socialismo em todas as suas etapas e até o presente. Esta prática se baseia no princípio marxista-leninista de que as massas populares desempenham o papel fundamental nas transformações revolucionárias, de que o povo é o verdadeiro herói, o criador dos bens materiais e espirituais da sociedade e a força decisiva para a realização de transformações políticas e sociais.

Este é outro grande aporte do Partido Comunista da China à teoria e à prática da revolução e construção do socialismo, de grande valor para o Movimento Comunista Internacional.

A vitória do povo chinês sob a direção do Partido Comunista da China foi uma importante viragem histórica. O povo chinês venceu a guerra de libertação, derrocou o imperialismo, o feudalismo e a burguesia compradora, conquistou a independência nacional, fundou a República Popular da China e realizou a maior, mais importante e mais profunda transformação social em sua história milenar. Foi o marco inicial da realização do sonho chinês. Este é um grande mérito histórico do Partido Comunista da China.

A partir desta vitória, foi possível estabelecer o sistema socialista básico e iniciar a construção do socialismo. Foi a partir deste triunfo que começou a construção do socialismo com as características chinesas, lançando as bases fundamentais para o desenvolvimento da causa popular e nacional. Este foi o primeiro passo para introduzir a China na senda do progresso. É outro grande mérito histórico e outra demonstração de originalidade e criatividade. Tal como não copiou modelos teóricos nem experiências de outras latitudes, o Partido Comunista da China formulou uma política própria consoante sua realidade nacional.

Os primeiros anos após o triunfo da revolução constituíram um caminho complexo e desafiador na busca dos meios e modos mais adequados para construir a nova sociedade. Foi uma transição penosa que o novo poder popular percorreu para transformar o país, passar à etapa da construção do socialismo e fazer da China parte integrante indispensável do campo socialista mundial. Sob a direção do Partido Comunista da China, o povo mergulhou profundamente na tarefa de construir o socialismo. Em pouco tempo, foi possível empreender profundas transformações, edificar um sistema econômico nacional independente nas condições específicas da China e soerguer as instituições do poder político popular e socialista.

Em momento histórico posterior, com a aplicação da política de Reforma e Abertura, no quadro da etapa primária do socialismo, a nação chinesa floresceu ainda mais e conheceu um período de impetuoso desenvolvimento, que prossegue até os dias de hoje.

A Reforma e Abertura iniciada por Deng Xiaoping levou a China ao atual grau de  desenvolvimento impetuoso, com importantes reflexos na elevação do nível de bem-estar do povo chinês e na transformação do país num ator de primeira ordem no cenário internacional.

Desenvolvimento, poder nacional, progresso social e socialismo aparecem, assim, como três fatores entrelaçados, no processo de construção do socialismo com características chinesas. Como disse Deng Xiaoping em 1992: “Se nós desistirmos do socialismo, não aplicarmos a política de reforma e abertura, não desenvolvermos a economia, nem melhorarmos a vida do povo, estaremos num beco sem saída”. Este é outro aporte do Partido Comunista da China à teoria e à prática do socialismo científico que beneficiam enormemente o acervo do Movimento Conunista Internacional.

Contemporaneamente, a China vive, sob a direção do Partido Comunista da China, um extraordinário desenvolvimento das forças produtivas, um vertiginoso progresso econômico, uma veloz mobilidade social e a acelerada redução da pobreza. A China é hoje uma das principais economias do mundo e em todos os sentidos pode ser chamada de potência emergente, uma fase esplêndida de sua milenar história, em que dá gigantescos saltos em seu desenvolvimento econômico, consolidando o poderio nacional, fortalecendo sua independência e avançando irreversivelmente na unificação e integridade territorial. É notável o avanço rumo à realização do Sonho Chinês de construir um país socialista poderoso, próspero, socialmente avançado, civilizado e culto. São marcos do socialismo da nova era, proclamado pelo Presidente Xi Jinping. Esta é outra importante demonstração da originalidade do Partido Comunista da China e um aporte que dá o Presidente Xi Jinping ao enriquecimento da teoria do Marxismo-Leninismo e à experiência do Movimento Comunista.

Se durante a Revolução da Nova Democracia e no início da construção do socialismo com peculiaridades chinesas foi fundamental a contribuição teórica do líder Mao Tsetung na aplicação do marxismo-leninismo à realidade concreta da China, foi o gênio de Deng Xiaoping que vislumbrou o caminho pioneiro de seguir na construção do socialismo por meio da Reforma e Abertura. Agora, a construção do socialismo na China ingressa numa nova era: “Mediante os esforços feitos durante um longo período de tempo, o socialismo com características chinesas já entrou numa nova era, que confirma a nova posição histórica do desenvolvimento da China”, afirmou o Presidente Xi Jinping em seu Relatório ao 19º Congresso do Partido Comuista da China.

Ao celebrar o centenário do Partido Comunista da China o povo e o governo chineses têm presente que o mundo vive um período histórico marcado por instabilidade, incertezas, ameaças à paz mundial, a tentativa de uma superpotência para impor a ferro e fogo sua hegemonia planetária. Ao fazê-lo essa superpotência viola a soberania das nações e tenta negar aos povos o direito de construir seu próprio caminho e realizar suas aspirações ao progresso social.

Hoje a China tem como princípios de sua política externa a defesa da paz e do desenvolvimento, a criação de um ambiente internacional pacífico, estabelecendo relações diplomáticas amplas e diversificadas e atuando na cena internacional como defensora do multilateralismo e do papel da ONU como eixo do sistema internacional, mantendo-se consequente e fiel aos cinco princípios de coexistência pacífica que formulou há mais de seis décadas: respeito mútuo à soberania e integridade nacional; não agressão; não intervenção nos assuntos internos de um país por parte de outro; igualdade e benefícios recíprocos e coexistência pacífica entre Estados com sistemas sociais e ideológicos diferentes.

Ativa e assertiva no exercício de sua política externa, a China contribui para a paz mundial, ao esforçar-se pela prosperidade comum, preservar sua independência, defender o princípio da autodeterminação e da soberania dos povos e nações, participando ativamente na diplomacia multilateral.

A história provou que sem o Partido Comunista, sem a aplicação criadora do marxismo-leninismo à realidade peculiar da China, sem o pensamento de Mao Tsetung, sem a teoria e a prática da revolução chinesa, não teria sido possível a fundação da República Popular, iniciar a construção do socialismo e abrir o caminho histórico de construir uma nação próspera, independente e socialista, processo no qual o povo chinês e o Partido Comunista da China se fortaleceram e se tornaram uma força imbatível.

Igualmente, a história demonstrou a vitalidade do pensamento de Deng Xiaoping sobre a construção do socialismo com peculiaridades chinesas e a política de Reforma e Abertura.

Hoje, o Partido Comunista da China e o povo encontram-se imersos na batalha pela realização do Sonho Chinês, sob o pensamento guia do Presidente Xi Jinping sobre o Socialismo com Características Chinesas para a Nova Era, que é a atual orientação para o desenvolvimento e o progresso do Partido e do país.

Como a história e o presente demonstram, a questão em foco não é se a China é exemplo ou modelo a ser seguido por outros países, mas se as políticas levadas a efeito pelo centenário partido que dirige a sociedade chinesa cumpriram os objetivos propostos e credenciam o país  para novas conquistas.

 

 

 

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email