Bater em Lula é mau negócio

"Bater em Lula não só não abala suas intenções de voto, como aumenta a rejeição de quem bate", escreve Alex Solnik sobre a pesquisa Quaest

www.brasil247.com -
(Foto: Ricardo Stuckert)


Por Alex Solnik 

A pesquisa Genial Investimentos/ Quaest Consultoria divulgada agora há pouco mostra que, em 2022, bater em Lula não só não abala suas intenções de voto, como aumenta a rejeição de quem bate.

O mais rejeitado, com 66%, é quem bate em Lula todo dia: Bolsonaro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em segundo, com 60%, outro anti-lulista pertinaz e incansável: Doria.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Moro, que tirou Lula da eleição de 2018, e o mantém na alça de mira, está em terceiro, com 59%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ciro Gomes, com 58%, está empatado tecnicamente com Moro.

Lula é o quinto em rejeição, com 43%,  depois de 40 anos de vida pública e dois mandatos de presidente da República.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bater em Lula é mau negócio.

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email