Bolsonaro quer Rodrigo Maia na cadeia

Por Leonardo Attuch

Antes de seu encontro com o chefe Donald Trump no resort de Mar-A-Lago, em Miami, Jair Bolsonaro decidiu dobrar sua aposta contra as instituições e convocou seu rebanho a comparecer às manifestações de 15 de março. Para inglês ver, ele afirmou que os protestos não são contra o Congresso Nacional nem contra o Supremo Tribunal Federal, mas é óbvio que seu alvo maior é Rodrigo Maia.

Não fosse assim, os bolsonaristas não estariam se dedicando neste sábado a puxar a hashtag #EuQueroMaiaNaCadeia, que é justamente o tema mais comentado da noite. Apontar os canhões digitais para o presidente da Câmara, chamado de "Botafogo" por seus aliados, é uma saída conveniente para um presidente que, em seu primeiro ano de governo, foi incapaz de entregar crescimento econômico e vê a situação cambial também sair do controle. 

Maia, por sua vez, deve considerar Bolsonaro ingrato, uma vez que, na condição de "primeiro-ministro", entregou as reformas demandadas pelo "mercado", como a trabalhista e previdenciária. Mas ele deveria refletir sobre seu papel na degradação das instituições. Será que valeu mesmo a pena apoiar o golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff e servir ao governo golpista de Michel Temer? Valeu a pena impor o teto de gastos para agora dizer que o Estado precisa voltar a investir?

O presidente da Câmara foi um dos principais responsáveis pela restauração neoliberal no Brasil que, até agora, só produziu miséria e desigualdade. E corre o risco de ser a próxima vítima do fascismo que emergiu na sequência do golpe de 2016. Que não reste dúvida: Bolsonaro quer Rodrigo Maia na cadeia. É exatamente isto o que seus seguidores estão dizendo neste momento. Ele terá força para reagir? Ninguém sabe. O certo é que o Brasil está prestes a viver dias dramáticos e Bolsonaro poderá voltar de Miami não apenas com o plano de um autogolpe, mas também com uma guerra contra a Venezuela, a mando de Donald Trump.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para contato@brasil247.com.br

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter.