Bolsonaro desiste de capacho na Justiça

"Apesar de não ter consumado a nomeação, ele demonstrou a indubitável intenção de manietar a Justiça tal como pretende manietar a Polícia Federal sob a chefia de seu ex-segurança e parça de seu filho 02, Alexandre Ramagem", escreve Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

(Foto: Marcello Casal Jr - Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Alex Solnik, do Jornalistas pela Democracia

Pressionado pela reação negativa à nomeação de seu capacho Jorge de Oliveira para o ministério da Justiça noticiada pela CNN Brasil – nomear dois capachos em 24 horas seria demais, já bastava o da Polícia Federal - Bolsonaro resolveu adiar o anúncio do novo ministro.

Apesar de não ter consumado a nomeação, ele demonstrou a indubitável intenção de manietar a Justiça tal como pretende manietar a Polícia Federal sob a chefia de seu ex-segurança e parça de seu filho 02, Alexandre Ramagem, o que vai engrossar, possivelmente, o arrazoado que o ministro Celso de Mello vai apresentar, em breve, na condição de relator do caso Moro-Bolsonaro no STF.

Bolsonaro deve estar à procura de um capacho menos óbvio.

(Conheça e apoie o projeto Jornalistas pela Democracia)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247