Bolsonaro saiu da jaula

"A fera foi contida por algum tempo, diante dos perigos do caso Queiroz e da própria Covid-19 que contraiu. Mas agora, animada pelas pesquisas de popularidade, se soltou, como mostra a retomada dos passeios de domingo. Vai ficar difícil fazê-la voltar para a jaula", escreve Helena Chagas, do Jornalistas pela Democracia

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)


Por Helena Chagas, para o Jornalistas pela Democracia

O presidente Jair Bolsonaro foi alvo de um massacre nas redes sociais, especialmente no Twitter, depois de ter ameaçado o repórter de O Globo afirmando que tinha vontade de encher a boca dele com uma porrada. Na madrugada, segundo postou o especialista Fabio Malini, Bolsonaro fora marcado em mais de 1.035.521 mensagens únicas sobre por qual motivo não respondeu ao ser questionado a respeito dos R$ 89 mil depositados por Fabrício Queiroz e sua mulher na conta da primeira dama Michele Bolsonaro. A pergunta viralizou, e foi retuitada por jornalistas, artistas e influenciadores.

O episódio permite concluir que nas redes – que sempre foram território do bolsonarismo —  e possivelmente fora delas, tem muita gente anestesiada, mas morta não. Na internet e fora dela, são imprevisíveis as fagulhas que acabam incendiando reações. Quando menos se espera, elas aparecem.  Pode não ter a força de um aumento de passagem como o que apertou o gatilho das manifestações de rua em 2013, e possivelmente esse acontecimento da semana acabará por aí. Mas algo aconteceu e pode acontecer de novo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Importante saber se as forças do antibolsonarismo vão conseguir usar o episódio, que juntou uma oposição desorganizada, para fazer crescer a reação contra o governo. Provavelmente não. A oposição institucional e partidária anda lenta, e quando chegar à cena do crime provavelmente todo mundo já terá ido embora. Terá perdido mais uma oportunidade de mostrar que Jairzinho Paz e Amor é um perfil falso, atrás do qual se esconde o mesmíssimo político autoritário e raivoso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Do lado governista, a turma do pano acordou cedo e já tratou de propagar suas versões, a principal delas de que a culpa é da segurança, que não afastou Jair Bolsonaro dos jornalistas quando começaram as perguntas “inconvenientes”. Filtrar perguntas de entrevistas é uma função que – ainda bem – nenhum segurança nunca teve no Planalto. Mas nesse governo tudo pode acontecer, até mesmo isso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A dúvida maior, porém, é o próprio Bolsonaro. A fera foi contida por algum tempo, diante dos perigos do caso Queiroz e da própria Covid-19 que contraiu. Mas agora, animada pelas pesquisas de popularidade, se soltou, como mostra a retomada dos passeios de domingo. Vai ficar difícil fazê-la voltar para a jaula.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email