Cabo Daciolo, a URSAL e a nova Arca de Noé

"De ilustre desconhecido, a trend topics do twitter mundial, Daciolo é mais uma dessas figuras aparentemente inofensivas, que proferem sandices e provocam risos na platéia. Mas, tudo é muito mais. Ele é apenas mais um integrante do conglomerado evangélico, que pretende tomar o poder político e religioso no Brasil"

Cabo Daciolo, a URSAL e a nova Arca de Noé
Cabo Daciolo, a URSAL e a nova Arca de Noé (Foto: Zeca Ribeiro)

Época de eleição é tão aguardada, quanto uma edição da copa do mundo. Não pela alegria ou emoção que o evento pode nos fazer sentir, mas, pelos momentos mais inusitados que ela pode nos proporcionar. Nosso sufrágio universal tem por cultura, apresentar candidatos cuja personalidade varia entre o bizarro e o tosco, que se expressam de uma maneira bem peculiar, por vezes, caricata, para debater a complexidade que é a política nossa de cada dia.

O “Pior que tá não fica”, lançado por Tiririca, é apenas mais um exemplo de como muitos de nossos candidatos a cargos eletivos, consegue nos engabelar, seja de maneira lúdica ou através de discursos evasivos e prolixos. Eu não sei quem comanda o “mainstream” da política brasileira, mas, o fato, é que ele se supera a cada eleição, garantido a diversão de um povo que, se menos alienado fosse, perceberia que só tem motivos para chorar.

O hit do ano é interpretado pelo presidenciável Cabo Daciolo, do Patriota, um “servo do Deus vivo”, ex adorador de Karl Marx, ex-líder de greve do corpo de bombeiros e ex-filiado do Psol, que agora apoia a direita radical, para honra e glória de Jesus Cristo, que, segundo ele, é o seu mentor político. A URSAL , cantada por ele, promete bater o sucesso de “Vai Malandra”, no quesito malandragem, e, de “Que tiro foi esse”, na categoria estardalhaço. É bom todos se abaixarem, porque vem mais bala perdida e tundum dum por aí!

De ilustre desconhecido, a trend topics do twitter mundial, Daciolo é mais uma dessas figuras aparentemente inofensivas, que proferem sandices e provocam risos na platéia. Mas, tudo é muito mais. Ele é apenas mais um integrante do conglomerado evangélico, que pretende tomar o poder político e religioso no Brasil. Apesar de sua oratória inflamada e de seus posicionamentos mais ortodoxos, que vão de encontro a postura de outros líderes religiosos, as suas intenções, no fim das contas e dos contos que ele conta, convergem para o mesmo sentido. Ganhar poder  político em nome de Jesus.

Cabo Daciolo pode ser tosco, mas, não é pouco inteligente. Ao contrário de seu concorrente e superior hierárquico, capitão Jair Bolsonaro, que possui as duas “qualidades”. A sua originalidade jamais o fará se eleger presidente, mas arrebanhará muitas ovelhas identificadas com a sua fé e seduzidas por sua pregação, para fortalecerem o projeto da bancada evangélica, que é o de dominar tudo. Ao associar a URSAL, um projeto da esquerda socialista, aos Iluminattis e a nova ordem mundial, um projeto de direita capitalista, ele não o fez por falta de conhecimento. Não se enganem. O fez por conveniência e estratégia, se aproveitando da falta de informação do público. Principalmente, da maioria dos evangélicos, os quais ele representa, e que adoram fazer analogias entre os textos bíblicos e as teorias da conspiração.

Cabo Daciolo foi expulso do Psol, justamente por saber usar bem essa tática da distorção dos fatos, em benefício próprio e de seus irmãos de fé. Como deputado, propôs uma emenda constitucional que visava a alteração do parágrafo primeiro da Constituição federal, que diz que: “Todo poder emana do povo”, para “Todo poder emana de Deus”. Já deu para imaginar quem seriam os representantes do poder que emana de Deus, aqui no Brasil, né? Daciolo, e outros tantos, que se valem da religião para conquistar um cargo político, visam apenas a própria honra e glória. Jesus é apenas seu suplente.

A URSAL (União das repúblicas socialistas da américa latina) seria sugerida por ele, até que seria de grande valia para a América Latina. Imaginem a seleção de futebol da URSAL, com Neymar, Messi, Suarez, Cavani e James Rodrigues? Não ia ter pra ninguém. A economia seria uma das mais fortes do mundo. O tango e o samba pertenceriam a mesma nação. O vinho chileno, a tequila mexicana e a nossa caipirinha, seriam patrimônio etílico da humanidade. Deus não seria apenas brasileiro, seria Ursalense. Oh, glória!

Mas, o Cabo Daciolo, além de se opor a tudo isso, já avisou que no seu governo, irá varrer todos os socialistas da face da terra e proteger a nação do inimigo. Os seus seguidores podem ficar tranquilos. Mesmo que ele não consiga destruir a URSAL, e ela vier a ser instituída como república única, ele construirá uma nova arca de noé e transportar os seus fiéis em segurança, rumo a terra prometida. E nem adianta tentar aprisionar o seu povo na América latina socialista. Ele erguerá o seu cajado aos céus, e ordenará que o mar do Caribe se abra, para que todos passem.

Tudo, para honra e glória de um Jesus, que assiste a tudo isso, perplexo e cada vez mais desacreditado da humanidade. Logo, ele, o primeiro socialista da história, a ser condenado a morte pelos donos do capital e da religião, por pregar a igualdade e a justiça social. Ele deve estar meio desanimado, em ter que voltar aqui e repetir tudo o que já disse, há mais de dois mil anos atrás e poucos escutaram. A nós, resta-nos repetir sua oração no jardim do Getsêmani, e dizer: Pai, afaste de nós esse cálice!

E esse cabo também...

Oremos!

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247