Camões, Chico e o analfabeto Bic

Um governo que quer apagar o legado de Paulo Freire, considerado um dos maiores educadores do mundo; que tem no suposto astrólogo Olavo de Carvalho, um ícone da filosofia; não pode colocar sua assinatura em documento tão nobre

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ele lê mal, tem vocabulário pobre e não é capaz de escrever uma linha, mas é o responsável por assinar o diploma do Prêmio Camões de Literatura ao vencedor, Chico Buarque de Holanda. Porém, o analfabeto disse que não assinará, não usará sua esferográfica Bic por retaliação ao ganhador do Prêmio, que tem pensamento político e de vida, oposto ao seu.

Ao negar assinatura, Bolsonaro passa recibo do seu tamanho para a cultura brasileira, ajusta-se ao lugar que cabe aos insignificantes na história. Além de expor sua repulsa às artes, demonstra um ressentimento inapropriado ao cargo que ocupa. Chico Buarque é um gigante da cultura, qualquer governante teria orgulho em assinar um diploma tão significante para as literaturas brasileira e portuguesa.

O analfabeto Bic joga em um time que tem Silvio Santos, que deve responder na justiça por assédio e exposição sexual de crianças em seu duvidoso programa de auditório; Bispo Macedo, que pratica charlatanismo religioso e ensina aos jovens pastores como tirar dinheiro dos pobres frequentadores de sua igreja e, completando o time, Luciano Hang, o empresário patético e bilionário sonegador de impostos. Sinceramente, Chico Buarque deve estar aliviado com a recusa.

Enfim, um governo que quer apagar o legado de Paulo Freire, considerado um dos maiores educadores do mundo; que tem no suposto astrólogo Olavo de Carvalho, um ícone da filosofia; não pode colocar sua assinatura em documento tão nobre.

Não vamos nos indignar. Deus dará, Deus dará!

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247