Carta a Enrico

Teu nome, meu filho querido, é inspirado na trajetória desse comunista italiano que tem a sua última aparição pública realizando aquilo que norteou praticamente toda a sua vida – o fazer política



Meu filho amado, o teu nome foi escolhido em homenagem àquele que considero o último comunista que teve algo de novo a dizer. Um comunista de estatura franzina nascido na ilha da Sardenha, tal qual outro comunista que revolucionou o pensamento marxista ocidental até morrer nos cárceres fascistas em 1937.

O nome desse comunista que diziam ser um homem triste foi guardado durante muito tempo na mente do teu pai até a tua chegada ao mundo num 8 de outubro – data que simboliza o martírio de um comunista de outra tradição, nas matas bolivianas.

Não foram poucos os episódios nos quais esse comunista – que também dizem ironicamente já ter nascido filiado ao Partido Comunista Italiano em função do seu engajamento prematuro – demonstrou a sua insubmissão em relação a autoridades petrificadas, como, por exemplo, quando pronunciou a herege expressão “democracia, valor universal” diante de toda burocracia dos partidos comunistas, por ocasião das celebrações em torno dos sessenta anos da Revolução Russa de 1917.

Teu nome, meu filho querido, é inspirado na trajetória desse comunista italiano que tem a sua última aparição pública realizando aquilo que norteou praticamente toda a sua vida – o fazer política.

Era junho de 1984, enquanto discursava em cima de um palanque durante a campanha eleitoral para o parlamento europeu na cidade de Padova, que a morte deste comunista democrático antecipou simbolicamente para o teu pai a morte de um outro comunismo, intrinsecamente despótico, em novembro de 1989.

Recordar a origem do teu nome nesse momento em que se completam exatos quatro meses da nossa separação foi a maneira encontrada pelo teu pai para expressar a dilacerante dor resultante de uma saudade potencializada pelo sentimento de injustiça. Recordar a origem do teu nome, meu filho Enrico, é, também uma maneira de dizer: EU TE AMO!

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email