Carta aberta ao jornal Valor, que acoberta as offshores de Guedes e Roberto Campos

O jornalista Rodrigo Vianna, âncora do Boa Noite 247, questiona a entrevista do diretor de redação do Valor, Cristiano Romero, com Roberto Campos Neto. Romero louvou o presidente do BC todo o tempo e não o questionou sobre seus investimentos offshore revelados pelo Pandora Papers -quase pediu desculpar por tocar no assunto. "Não vou mais ajudar a sustentar um jornal que acoberta e normaliza a picaretagem financeira", escreveu Vianna ao cancelar a assinatura do Valor

www.brasil247.com - Paulo Guedes e Campos Neto
Paulo Guedes e Campos Neto (Foto: Alan Santos/PR | Isac Nóbrega/PR)


Por Rodrigo Vianna

Sou assinante do Valor Econômico há alguns anos: primeiro "no papel", depois na versão eletrônica (CPF XXX.XXX.XXX-XX).

Apesar de não concordar com a linha editorial do Valor, muito próxima de certo liberalismo obtuso, considerava que sua equipe (que inclui bons colunistas e repórteres) tinha algum compromisso com os fatos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assisti ontem à entrevista do diretor de redação do Valor, Cristiano Romero, com o presidente do BC, Roberto Campos Neto. A live ocorreu no dia seguinte a um escândalo internacional: o presidente do Banco Central e o ministro da economia Paulo Guedes, maiores autoridades da economia brasileira, mantém contas no exterior, utilizando o expediente de empresas offshore - largamente usado também por bandidos que pretendem esconder dinheiro fora do país. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O escândalo, revelado por um Consórcio Internacional de Jornalistas, mereceu manchetes de primeira página nos principais jornais do Mundo. Aqui no Brasil, o fato foi quase ignorado pela imprensa que se diz "profissional". Talvez porque os donos de jornal também tenham contas em esconderijos fiscais.

Esperava que o jornalista do Valor questionasse o presidente do BC sobre o tema. Ao invés disso, assisti a uma entrevista que parecia feita por um assessor de imprensa, louvando inclusive o fato de Roberto Campos Neto ser descendente de um ex ministro da ditadura militar (claro que o diretor do Valor louvou o papel do avô, sem incomodar o neto com pergunta desagradável sobre o fato de Bob Fields ter atuado sob regime militar assassino).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ser neto de Roberto Campos deve integrar o pacote de meritocracia que liberais receitam para o Brasil: "seja você também um neto de ministro da ditadura, e prospere com dinheiro no exterior!"

Bem no fim da live, o jornalista Cristiano Romero, quase pedindo desculpas, afirma: "surgiram essas informações de recursos no exterior, fui lá ver que tava tudo declarado já na sua sabatina no Senado e na comissão de Etica da presidência e tá tudo declarado. Queria saber se o senhor quer falar algo mais sobre isso?"

Tipo: "são umas besteirinhas aí, que eu não trouxe antes à live para não perturbar o senhor, um legítimo neto de Roberto Campos..." 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Parecia um repórter de campo de rádio que, ao fim da partida, diz constrangido ao jogador de futebol: "o microfone é seu, fale o que quiser..."

Nenhuma pergunta efetiva sobre os seguintes tópicos:

 1. é ético o sujeito que comanda a política monetária ter recursos no exterior?

 2. o brasileiro deveria confiar nos bancos do Brasil se a autoridade monetária prefere manter recursos no exterior?

 3. por que aplicar no exterior e não no Brasil?

4. é razoável que o Ministro da Economia tenha recursos no exterior sabendo que ele gere a política de câmbio no Brasil, e portanto ganha dinheiro com a variação cambial?

 5. o Banco Central pretende criar um programa que facilite, ao brasileiro médio, abrir empresas de fachada em esconderijos fiscais, ou esse expediente está reservado aos magnatas do mercado financeiro? o senhor recomenda que todo brasileiro mande dinheiro para o exterior?

Pelas razões acima expostas, solicito o cancelamento imediato de minha assinatura.

Não vou mais ajudar a sustentar um jornal que acoberta e normaliza a picaretagem financeira.

Minhas saudações à família Marinho e seus amigos na Mossack Fonseca e nas Ilhas Virgens Britânicas.

 Atenciosamente,

 Rodrigo Vianna

 (ex) assinante

Inscreva-se no canal de cortes do 247 e assista:

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email