Cartinha de Aécio 'tocou' plenário do Senado

A cartinha de Aécio Neves (PSDB-MG) "tocou" o plenário do Senado que, esta noite, por 44 votos a 26, salvou o tucano da degola. Líder do golpe que derrubou Dilma Rousseff, o tucano Aécio Neves foi flagrado em áudios pedindo propina para a JBS; um primo dele chegou a ser preso por carregar uma mala de dinheiro para o senador

Aécio Neves discursa no Senado 04/07/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Aécio Neves discursa no Senado 04/07/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Esmael Morais)

A cartinha de Aécio Neves (PSDB-MG) "tocou" o plenário do Senado que, esta noite, por 44 votos a 26, salvou o tucano da degola.

Os senadores reverteram a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que pedia o afastamento de Aécio do cargo.

Líder do golpe que derrubou Dilma Rousseff, o tucano Aécio Neves foi flagrado em áudios pedindo propina para a JBS; um primo dele chegou a ser preso por carregar uma mala de dinheiro para o senador.

O Senado preferiu curvar-se ao líder do golpe e ao lobby de Michel Temer (PMDB).

O senador Roberto Requião (PMDB-PR), que votou pelo afastamento, disse que a direita aparentemente foi vitoriosa em sua tese sobre o caos e o Congresso Nacional.

"Na verdade, hoje foi a vitória do general Mourão", desabafou o peemedebista ao referir-se ao general Antonio Hamilton Mourão que propunha um golpe militar para dar um basta na corrupção.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247