Com Temer, o Brasil vai arder

Assim que a PEC 55 for consolidando seus efeitos; que a reforma da previdência pretendida pelos golpistas se efetivar; que a reforma trabalhista vomitar seus efeitos negativos sobre os trabalhadores, conviveremos com grandes ondas de reações violentas

Protesto na Avenida Paulista: Fora Temer (04/09/2016)
Protesto na Avenida Paulista: Fora Temer (04/09/2016) (Foto: Chico Vigilante)

Várias vezes afirmei em artigos e pronunciamentos que Temer no poder levaria o Brasil ao caos político, econômico e social.

Quando afirmei isso, no entanto, não imaginava que ele chegaria tão rapidamente e de forma tão aterrorizante.

Nunca previ decapitações em série, pelo levante de facções criminosas dentro de prisões; mortes de centenas de pessoas nas ruas pela ausência de segurança pública resultado do movimento grevista de policiais militares lutando por melhores salários e pagamentos em dia.

Crianças sem escolas, lojas e supermercados cerrados pelo pânico de assaltos e vandalismos, que ocorreram ao bel prazer dos meliantes.

No meio da confusão Temer preferiu indicar Alexandre Moraes, seu ministro da Justiça para a vaga de juiz no Supremo, que será responsável pela revisão dos processos da Lava Jato, onde Temer é citado 43 vezes em delação da Odebrecht.

Nunca imaginei que a onda de política de recessão, de ajuste fiscal, de cortes, levada a cabo pelo roteiro do golpe causasse um efeito tão imediato e avassalador que tende a se espalhar como um rastilho de pólvora por todo o país.

Sim, o que aconteceu no ES pode se espalhar e não só na área da segurança.

Assim que a PEC 55 for consolidando seus efeitos; que a reforma da previdência pretendida pelos golpistas se efetivar; que a reforma trabalhista vomitar seus efeitos negativos sobre os trabalhadores, conviveremos com grandes ondas de reações violentas.

As pessoas não aceitarão pacificamente serem jogadas de volta à pobreza.

O ajuste fiscal vai sucatear o serviço público e a população não vai aceitar pagar impostos e não receber nada em troca.

As reações que ocorrem no Espírito Santo e no Rio de Janeiro, levando categorias de servidores públicos a uma situação de grande opressão, não só pelos salários, mas pelas condições de trabalho, infelizmente, vai se espalhar e o Brasil inteiro vai arder.
Este governo não tem talento para negociar com movimentos grevistas, da complexidade do da PM, inclusive pela existência de lideranças difusas.
No último sábado o governo federal enviou 300 homens da Força Nacional para comandar a segurança durante a ausência da polícia local e apesar da greve da PM continuar – apenas uma parte deles voltou ao trabalho - o ministro da Defesa, Raul Jungmann, no domingo, 11, disse que a crise no Estado está "superada". Será ?
Na sexta-feira 10, uma reunião de mais de dez horas terminou sem acordo entre secretários do governo e mulheres do movimento.
O governo golpista não tem talento para gerir as crises que cria. Se não consegue solucionar uma greve da segurança pública imagine o que fará diante do estado de guerra civil em que brevemente suas próprias ações tresloucadas transformarão o Brasil.

FORA TEMER! DIRETAS JÁ!

Conheça a TV 247

Mais de Blog

O histerismo ideológico do clã Jair Messias e seus seguidores
Ariovaldo Ramos

Depressa!

Se houvesse necessidade, frente a qualquer inimigo externo, Deus levantava um ou uma líder, chamado de juiz ou de juíza, que comandava o povo contra o invasor e, assim, protegia o território e o...

Ao vivo na TV 247 Youtube 247