Como eliminar seu dragão da inflação

www.brasil247.com - Frentista abastece veículo em posto de combustíveis no Rio de Janeiro. 08/07/2021
Frentista abastece veículo em posto de combustíveis no Rio de Janeiro. 08/07/2021 (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)


A proposta desesperada do presidente Bolsonaro, para tentar melhorar o preço da gasolina, no ano eleitoral, de zerar o ICMS, é mais uma fakenews. A proposta pode até melhorar no primeiro momento, mas não se sustenta a médio e longo prazo, graças a sua política continuada de equiparação dos valores internacionais que apenas engorda os bolsos dos empresários, mas o povo, aquele que vai votar nas urnas em outubro, não oferece nenhuma solução de redução. É uma bomba relógio. Os Estados já passaram quatro meses com seus ICMS congelados e nada conseguiu parar esse avanço, por conta da política internacional de petróleo do qual Temer atrelou quando assumiu, ao invés da antiga política interna.

A medida paliativa, só tem o objetivo eleitoral. Mas a política internacional é implacável. Essas tentativas acocham bradas, típicas de déspotas, lembra uma história de séculos atrás. Um rico aristocrata turco que visitou Paris, experimentou um vinho branco Chateau Carbonnieux de Bordeaux. Comprou vários e se tornou uma febre entre a corte turca. Como bebida alcoólica é proibida pelo Alcorão a saída foi resolvida pelo Sultão, no século 16. Eles importariam a bebida, mas mudariam o rótulo. Seria Eau Minerale de Carbonnieux. Água mineral. Resolvido a questão da importação e a fiscalização de Alá. 

O dilema vivido ente o sabor e a consciência estão sendo vividas por Bolsonaro. Ou ele abaixa os preços e consegue competir melhor na eleição ou ele agrada os mais ricos. Os dois, não dá. Sua tentativa de privatizar a Petrobrás para dar uma canetada se mostrou impossível e mesmo que pudesse em tão pouco tempo, cairia na mesma armadilha, pois sendo de empresários, eles atrelariam a preços internacionais. Em março de 2021 o governo já tinha zerado os impostos federais sobre diesel e gás de cozinha e não aconteceu nenhuma diferença. Bolsonaro não pode mudar o rótulo verdadeiro quando é inconveniente. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O problema em se achar um rei e não um governante, é que ele tenta decretar suas verdades de um Brasil perfeito, enquanto a maior parte da população está sofrendo demais para sobreviver.  Para eles só existe teto de gastos para educação, saúde, cultura para endividamento do Estado, não existe. Tentam impedir a percepção da realidade com discursos, fakenenws, mas a realidade é visível a olho nu. Aqueles que tentam mostrar o povo nas ruas, volta da violência urbana, fome e desespero, são atacados pela máquina do Estado, tal qual na antiga ditadura, como o presidente tanto celebra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A compensação da renuncia de receita dos Estados e Municípios serão com a venda da maior empresa de energia da América latina, a preço de banana. Tudo feito às pressas para tentar salvar a eleição a menos de quatro meses. O governo de extrema-direita neoliberal tenta se vender como democrata, porém ataca até a própria democracia  fazendo todo tipo de crítica ao melhor sistema eleitoral do mundo, colocando seus dois ministros do STF tumultuando a instituição por dentro estrategicamente para esfacelar o nosso modelo de país. Qual o rótulo do próprio governo? Eles são o que dizem ou são o que fazem? Afinal, Bolsonaro está muito longe de ser um sultão, mesmo achando que é um país maravilhoso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No fundo, vemos e vivemos em um momento de poder das narrativas e Bolsonaro dá para seus seguidores o que querem, mesmo sendo todas inverdades. Afinal, sua prerrogativa está que suas palavras, assim como o rótulo vindo de Alá, está autorizado pelos pentecostais que o comparam a Jesus. E essa interpretação continuará sendo perigosa nesses próximos meses de corrida eleitoral. Só vai piorar. A única certeza é que podemos eliminar seu dragão da inflação em outubro. Todo resto será recuperado a duras penas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email