Condenado por Deus

O presidente, que ameaça seus ministros de irem para o pau de arara se prevaricarem, corre sério risco de ser condenado por Deus!

(Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

“O presidente inventou declaração de Lula para vetar projeto que busca beneficiar crianças vítimas de violência doméstica. (…) O texto busca “estabelecer que serão processados por meio de ação penal pública incondicionada os crimes de lesões corporais leves e culposas praticados contra vítima menor de 18 (dezoito) anos ou incapaz, nos casos em que o agente conviva ou tenha convivido com a vítima ou em que haja prevalência das relações domésticas, de coabitação ou de hospitalidade. (…) Apesar da matéria ser explicitamente voltada a casos de violência doméstica, Bolsonaro afirmou que é uma afronta a policias”. O projeto, apresentado em 2016, foi aprovado na Comissão de Seguridade Social e Família, por unanimidade, e na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC).” Redação Revista Forum 12/11/19 (22H06)

O presidente ao anunciar a fake news sobre Lula, imitou a voz do ex-presidente, tal qual um palhaço canastrão.

Ao vetar o projeto de autoria da deputada Gleisi Hoffmann, de 2016, o presidente privou crianças, adolescentes e incapazes, vítimas de violência doméstica, de proteção maior.

Ao alegar que o projeto de lei era uma afronta a policiais, o presidente sugeriu que é isso que fazem os policiais. Talvez isso explique a ausência do presidente frente a assassinatos de crianças e adolescentes.

O presidente pensou estar zombando do ex-presidente, mas, de fato, zombou das crianças e adolescentes, e dos incapazes, além de avisar aos perpetradores deste tipo de violência, que eles permanecerão impunes. 

O que o presidente, talvez, não saiba é que, para o Pai Celestial, zombar de criança é gravíssimo.

Se o presidente tivesse zombado de Cristo, como faz outro grupo de palhaços, em crise de canastrice, teria sido menos ruim, porque Jesus Cristo disse que quem pecasse contra ele, poderia alcançar perdão, mas, quem pecasse contra as crianças não seria perdoado.

Jesus disse: “Qualquer, porém, que fizer tropeçar a um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho, e fosse afogado na profundeza do mar.” Mt 18.6

Temos de gerar um manifesto pela criança, que lhe garanta o direito a ser criança, de tal modo que ela venha a gostar de ser gente. Porque é nessa fase que o ser humano desenvolve ou não o gosto de ser gente. A criança precisa ser tratada e criada de tal maneira que venha a amar existir.

Se não lograr tal êxito, será um ser humano amargo que o detestará ser, e, por consequência, será um elemento que, no mínimo, não fará nada para sustentar qualquer existência.

É isso que o projeto vetado tentava evitar, no seu corolário mais profundo.

O presidente, que ameaça seus ministros de irem para o pau de arara se prevaricarem, corre sério risco de ser condenado por Deus!

Estão reconstruindo a Senzala… temos de tomar a Casa Grande!.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247