Cuba vai às urnas; pela primeira vez com 2 candidatos de oposição; o que difere do Brasil?

Por lá, não há hipótese de candidato desconhecido de cada base, cada bairro, ser escolhido para disputar as eleições, que neste domingo representam as primárias feitas a cada dois anos e meio servindo de processo preparatório das eleições para as assembleias provinciais e a Assembleia Nacional (Parlamento), estas previstas em 2018

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Os dados estão à disposição de todos: neste domingo de verão, mais de oito milhões de cubanos maiores de 16 anos (em uma população de 11,1 milhões) estão sendo convidados a escolher 12.589 vereadores de uma lista de 30.000 candidatos pré-selecionados nas assembleias dos bairros.

Pela primeira vez, desde a Revolução Cubana, as eleições na Ilha registram dois opositores ao governo comunista. São eles, o advogado e jornalista independente Hildebrand Chaviano, 65 anos, e o técnico em informática Yuniel López, 26, aparecendo na lista de candidatos de dois municípios.

Ambos, contudo, não têm a menor chance de eleição, mas só de serem aprovados, já significa dizer que superaram as barreiras do voto de Base.

PROCESSO ELEITORAL VS INFLUÊNCIA EXTERNA

Tomando por base o Brasil e suas regras eleitorais, em Cuba o voto não é obrigatório, embora os partidários do governo produzam campanha forte na mídia com adesão muito expressiva da população cubana. Pelo sistema de escolha, inexiste a possibilidade de influência externa, da famosa Ultra Direita que continua punindo Cuba com retaliações econômicas.

Por lá, não há hipótese de candidato desconhecido de cada base, cada bairro, ser escolhido para disputar as eleições, que neste domingo representam as primárias feitas a cada dois anos e meio servindo de processo preparatório das eleições para as assembleias provinciais e a Assembleia Nacional (Parlamento), estas previstas em 2018.

COMPARANDO COM O BRASIL

Na Ilha, o candidato não precisa ser filiado a nenhum partido porque a regra básica é ele ser indicado pelos moradores do bairro onde mora, em assembleia popular.

Além do mais, os candidatoa eleitos não têm salários ou qualquer adicional porque inexiste gasto financeiro na campanha, além do maos continuam trabalhando em seus locais e ganhando seus salários normalmente, apenas dispensados nos dias de reuniões.

Tal conjuntura significa representatividade real da sociedade e o risco zero de desvios de recursos, propinas ou algo comum no Brasil porque não há Capital a construir corrupção.

Tudo isto, contudo, sofrendo a grande e odienta perseguição Capitalista, sob a força da Ideologia, ignorando a importância de um processo representativo como tal.

Eis um resumo da geopolítica atual na qual a ordem é dizimar todos os ventos socialistas - no caso de Cuba, a imponência do Comunismo nas barbas do Tio Sam.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247