Das camisas aos dentes amarelos

Os apoiadores do governo de milícias estão saltando do barco e correndo para as redes sociais redimir-se. Estão trocando o amarelo da camisa pelo amarelo dos dentes

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A indignação com que o jornalista Guga Chacra se apresentou em um Jornal da GloboNews, ao falar sobre o comportamento de lideranças republicanas como Paulo Guedes que disse que Brigitte Macron ‘é feia mesmo’; e de como o Presidente Jair Bolsonaro vem, sucessivamente, envergonhando o brasileiro, principalmente os que moram no exterior como ele, não pode ser levada a sério. Todos sabiam quem era Bolsonaro, seu passado inútil como parlamentar representava um risco para o país. Não pega bem um jornalista experiente como Guga, acostumado a diagnósticos políticos complexos, vir agora e tentar passar uma de que está ‘surpreso’ com a desqualificação e o baixo nível dessa gente.

Os apoiadores do governo de milícias estão saltando do barco e correndo para as redes sociais redimir-se. Estão trocando o amarelo da camisa pelo amarelo dos dentes. O MBL, o Vem Pra Rua, a deputada federal pelo PSL Joice Hasselmann, estão em rota de colisão com o bolsonarismo que defenderam. Um arrependimento tardio foi o do senador do PDT por Roraima, Telmário Mota.  O senador se diz arrependido de ter votado a favor do impeachment contra a Presidenta Dilma Rousseff: “Eu, infelizmente, cometi o maior equívoco da minha vida. O maior equívoco político da minha vida foi ter votado a favor do impeachment, porque agora percebo que botei uma quadrilha ali”.  Quadrilha é a definição irrefutável para esse governo que comete crimes de responsabilidade, contra a administração pública, contra o meio-ambiente, contra os direitos individuais e até, como alertam lideranças mundo afora, crimes contra a humanidade.

Nunca foi segredo que Bolsonaro é preconceituoso e inimigo da democracia, que não possui nenhum atributo necessário e esperado de alguém que pretenda exerce cargo público. O próprio reconhecia, em plena campanha, que não entendia nada sobre assunto nenhum, que seria apenas o ‘técnico’ que escalaria o time. O high society perfumado, que tem em Guga Chacra um de seus porta-vozes, por conta da herança do escravismo e do arraigado ódio de classes contra a pobreza que carregam por baixo de suas roupas fedorentas, imaginavam que o selvagem capitão faria o serviço sujo e voltaria às rédeas. Acontece que o bridão é frouxo e o capitão tem gostado de passear sem o cabresto.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247