Davos e a fantástica franquia de chocolate suíço

O presidente de Norminha e Estela falou por 6 longos minutos. Parecia uma eternidade, visto que o conteúdo de sua fala foi de uma prolixidade nacionalista enfadonha. Incluindo uma falsa preocupação com o meio ambiente e um convite aos habitantes do resto do mundo, para passarem férias em seu país

Davos e a fantástica franquia de chocolate suíço
Davos e a fantástica franquia de chocolate suíço (Foto: Alan Santos - PR)

Segundo uma citação bíblica, não devemos julgar para não sermos julgados. A mesma citação ainda acrescenta que, com o mesmo rigor que julgarmos aos outros, também seremos julgados. Há quem não acredite nos escritos bíblicos. Da mesma forma, que há quem acredite na existência de um salvador da pátria. Um messias não bíblico, que viria limpar a nação de todo o mal provocado pela corrupção vermelha criada pelo PT, que planejava entregar o país nas mãos da URSAL.

Entre aqueles que acreditam no conto do evangelho anti corrupção, está Dona Norma. Casada há 20 anos com um empresário do ramo da construção civil, ela é a típica madame da zona sul carioca. E muito se orgulha disso. Norminha, como é carinhosa chamada pelas dondocas que fazem parte do seu círculo social, é uma ferrenha defensora da família tradicional brasileira. Devota de Santa Damares do vestido rosa, ela está radiante com a nova era e com os novos rumos que o novo governo prometeu dar ao país.

Com muita ansiedade e expectativa, Norminha sentou-se em sua poltrona reclinável para assistir ao primeiro discurso internacional do seu novo presidente. Momento tão único, não poderia ser vivenciado sem ter alguém para dividir tamanha alegria consigo. A escolhida foi Estela. Sua melhor amiga e ex esposa de um ex bem conceituado cirurgião plástico, que perdeu sua credibilidade profissional ao ser flagrado testando em si mesmo, a eficiência da prótese peniana que havia implantado em um de seus clientes. Um escândalo que abalou o HighSociety carioca.

- Vai começar a abertura do fórum, Estela. Que Deus abençoe o nosso presidente!
- Ele vai arrasar, amiga!
- Sim. Só não entendi porque ele só vai usar 8 minutos, dos 45 que teria direito.
- Deve ser alguma estratégia para surpreender o mercado internacional....

O presidente de Norminha e Estela falou por 6 longos minutos. Parecia uma eternidade, visto que o conteúdo de sua fala foi de uma prolixidade nacionalista enfadonha. Incluindo uma falsa preocupação com o meio ambiente e um convite aos habitantes do resto do mundo, para passarem férias em seu país. Os mais críticos diriam que o seu discurso foi extraído de sua bolsa de colostomia, mas, para Norminha e Estela, ele A-RRA-SOU! Que postura! Que português impecável. Quanta diferença para um tal ex presidente que mal sabia falar, mas que usava todo o tempo reservado a ele, e ainda suscitava nos presentes um desejo de bis.

- Hahaha! Viu, Estela? A esquerdalha que pensou que o nosso presidente ia fazer vergonha, se ferrou. Chora, vagabundos!
- Tem razão, amiga! Ele deu show. Quero ver agora, a Globo derrubá-lo com essas mentiras contra o filho dele.
- Também acho que ficou difícil. Ainda mais que o menino deu entrevista na Record e explicou tudo. Matou a pau! Igual ao pai.
- Rapaz honesto, trabalhador. Poderia ter enriquecido na política, mas não. Abriu uma franquia de chocolateria e fez seu patrimônio crescer 400%.
- Pois é, menina! Se ele administra tão bem uma loja, imagina o que ele pode fazer pelo país, auxiliando o pai?

Enquanto o nobel de economia, Robert Shiller, dizia em entrevista que "Ele me dá medo", referindo-se ao presidente de Norminha e Estela, e a imprensa internacional considerava como um "fiasco" o seu discurso no fórum de Davos, as duas seguiam eufóricas com a performance do chefe de estado de seu país. Tanto, que foram para as redes sociais expressarem todo o seu contentamento. Ao entrar no Twitter, Norminha levou um susto ao ver que nos trend topics daquela rede, estava uma hashtag que pedia a prisão do filho do seu presidente.

- Estela! Olha isso!
- O que foi, amiga?
- Estão pedindo a prisão do menino no Twitter. Isso deve ser coisa do Lula, que está morrendo de inveja do show que o presidente deu na Suíça.
- Que absurdo! Ele não já explicou que o seu patrimônio vem da loja de chocolates?
- Isso é perseguição da imprensa golpista.
- Olha,Norminha! Tem um vídeo dele chorando e secando as lágrimas na bandeira nacional...
- Ai, que dó! Até nesse momento de angústia, o menino não deixa de ser patriota.
- Estou até ficando nervosa com essa história
- Calma, amiga! Vou pedir para Marlene trazer uma água com açúcar para você.

Marlene era a empregada de Norminha. Moradora de Rio das Pedras, uma simpática comunidade da zona oeste do Rio de Janeiro, a moça demorou para ouvir o pedido da patroa, porque estava de ouvido colado no radinho que fica em cima do armário da cozinha, onde ela acompanhava notícias sobre uma batida policial no bairro onde mora.

- Está surda, Marlene?
- Desculpa, dona Norma! É que me distrai ouvindo o rádio
- Ouvindo rádio no horário de trabalho? Não estamos mais na era do PT, mulher. Agora, aqui é trabalho.
- É que estão falando que o filho do seu presidente, é amigo de uns caras que foram presos hoje pela polícia.
- E o que você quer dizer com isso? Tá insinuando que ele tem alguma ligação com esses caras?
- Não, dona Norma! Tô apenas dando a notícia...
- Eu te pedi alguma notícia, sua petralha!
- Mas, eu não sou petralha., dona Norma. Eu também votei nele. A senhora mandou. Esqueceu? Disse que se eu votasse no outro, eu ficaria sem emprego.
- Ah é! Tinha me esquecido. É essa sua cara de pobre que me lembra a esquerda e me deixa nervosa.
- Eu também fiquei nervosa com tudo isso, amiga!
- Calma, Estela! Toma! Pega um chocolate que acalma.
- Hum! Que delicia! Recheio de laranja...É suíço?
- Sim. Da franquia do menino.
- Está explicado porque ele está rico.

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247