Degradante transferência de Garotinho do hospital para a prisão é mais um capítulo do abuso de autoridade

Na noite desta quinta (17), o País assistiu pasmo a uma degradante cena durante transferência do ex-governador Anthony Garotinho (PR), de maca, para o presídio Bangu 8. Tratou-se de mais um capítulo de abuso de poder de um juiz contra pessoa humana

Na noite desta quinta (17), o País assistiu pasmo a uma degradante cena durante transferência do ex-governador Anthony Garotinho (PR), de maca, para o presídio Bangu 8. Tratou-se de mais um capítulo de abuso de poder de um juiz contra pessoa humana
Na noite desta quinta (17), o País assistiu pasmo a uma degradante cena durante transferência do ex-governador Anthony Garotinho (PR), de maca, para o presídio Bangu 8. Tratou-se de mais um capítulo de abuso de poder de um juiz contra pessoa humana (Foto: Esmael Morais)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Na noite desta quinta (17), o País assistiu pasmo a uma degradante cena durante transferência do ex-governador Anthony Garotinho (PR), de maca, para o presídio Bangu 8. Tratou-se de mais um capítulo de abuso de poder de um juiz contra pessoa humana.

Garotinho estava hospitalizado a espera de um cateterismo (intervenção cardiológica), mas o juiz Glaucenir Silva de Oliveira, da 100.ª Zona Eleitoral do Rio de Janeiro, em Campos dos Goytacazes (norte fluminense), viu “regalias” no internamento do ex-governador no Hospital Souza Aguiar.

O ex-governador do Rio foi preso na quarta (16) sob acusação de comprar votos na eleição de Campos.

“É lastimável um juiz ultrapassar protocolos médicos e usar a força para retirar um paciente de um hospital. Jamais se viu decisão tão prepotente, arbitrária e desumana”, protestou o advogado Fernando Fernandes.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde negou que Garotinho tenha recebido regalias no Hospital Souza Aguiar.

Este é mais um caso para análise do senador Roberto Requião (PMDB-PR), relator do projeto de lei sobre abuso de autoridade.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247