Delírio e paranoia, violência e pobreza, entreguismo e submissão — mentiras: Eis o governo fascista de Bolsonaro!

O ex-capitão Jair Bolsonaro, realmente e verdadeiramente, demonstra sem dar espaço à dúvida não entender nada de economia e finanças, como todo mundo sabe e sempre soube, pois, conforme o integralista e já antigo partidário e porta-voz do fascismo, emprestou R$ 24 mil ao motorista, Fabrício Queiroz, empregado de seu filho, o senador eleito pelo Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, que movimentou em sua conta R$ 1,2 milhão

Delírio e paranoia, violência e pobreza, entreguismo e submissão — mentiras: Eis o governo fascista de Bolsonaro!
Delírio e paranoia, violência e pobreza, entreguismo e submissão — mentiras: Eis o governo fascista de Bolsonaro! (Foto: Reprodução)

Jair Bolsonaro sabe que Satanás é também conhecido como o Pai da Mentira.

Lula é preso político sequestrado por agentes do Estado brasileiro e condenado previamente pela imprensa meramente de mercado historicamente golpista e extremamente corrupta e manipuladora.

"A saída do caso dele (Lula) não é uma saída jurídica. Tentou-se de tudo que pode no mundo jurídico. É uma saída política, e está ficando cada vez mais claro que a prisão é política". (Gleisi Hoffmann – presidente do PT *e todas as pessoas que não são idiotas)

A diferença dos militares brasileiros de altas patentes em relação à sua colonização consentida e vexatória aos militares norte-americanos é que os yankees estão espalhados pelo mundo para defender os interesses governamentais dos EUA e das empresas americanas. Enquanto no Brasil, com as Forças Armadas que há 150 anos não participam de uma guerra para valer, os militares terceiro-mundistas e subalternos à gringada malandra e esperta do norte tratam o povo e os trabalhadores como inimigos.

Ouvir as diatribes do general Paulo Chagas e aturar seus devaneios dignos de um pequeno Mussolini retratam, literalmente, o quando este País está mentalmente e socialmente doente, ao ponto de suas ameaças contra o Supremo Com Tudo (SCT), apesar de sua iniquidade e covardia, servirem como ação política e não serem questionadas por ninguém, nem pela própria Justiça. Cala a boca SCT!, foi o que disse o general de terceiro mundo, que deseja ver o Lula apodrecer na cadeia, como afirmou seu chefe ex-capitão, para que o golpe de 2016 seja definitivamente consolidado pela extrema direita brasileira.

O ex-capitão Jair Bolsonaro, realmente e verdadeiramente, demonstra sem dar espaço à dúvida não entender nada de economia e finanças, como todo mundo sabe e sempre soube, pois, conforme o integralista e já antigo partidário e porta-voz do fascismo, emprestou R$ 24 mil ao motorista, Fabrício Queiroz, empregado de seu filho, o senador eleito pelo Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, que movimentou em sua conta R$ 1,2 milhão.

Conclusão: Bolsonaro, o esperto pra caramba, emprestou R$ 24 mil a quem administrou em sua conta R$ 1,2 milhão. Vamos ver o que fará a Justiça dos juízes ricos e burgueses deste País pertencente apenas à casa grande com vocação de terceiro mundista, até que um dia se revoguem as disposições que estabelecem o domínio feudal dessa gente moralmente perversa, pois de alma corrompida e desprovida de sabedoria, noção e raciocínio lógicos. Que loucura...

Jair Bolsonaro é um presidente eleito oriundo do baixo clero parlamentar, com quase trinta anos de mandato sem produzir nada e coisa alguma, com problemas cognitivos graves e de uma bipolaridade a toda prova, transtorno que lhe causa uma agressividade constante e apoplética, além de ser um homem que demonstra ser paranoico, cuja perversidade contra os grupos sociais com os quais não se identifica e, como todo fascista, sente pela humanidade, a excluir os nascidos em berços de ouro, desprezo e desrespeito, postura esta que poderá descambar para a violência física, em forma de repressão oficial por meio das forças regulares de segurança.

Bolsonaro é um provinciano do interior de São Paulo, um dos estados mais conservadores do País, a rivalizar com o Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, bem como sua preocupação maior foi sempre deixar de ser pobre para ser rico, conforme comprova seu passado no Exército e seu presente, pois sua família paulista é dona de inúmeras lojas do comércio varejista na cidade onde Bolsonaro nasceu e região.

Este fato talvez seja um dos motivos pelos quais o ex-capitão tenha tanto desprezo e ódio pelos sindicatos e as leis trabalhistas, pois sempre está a defender a informalidade, de forma a aprofundar a "reforma" trabalhista covarde e cruel do traidor e golpista mi-shell temer, responsável maior pelo desemprego de 15 milhões de pessoas e diminuição do PIB, porque se trata do indutor da radical queda dos índices em todas as atividades econômicas. Uma lástima, fracasso e incompetência retumbantes.

O governo de Bolsonaro significará a continuidade do desgoverno de *temer, ou seja, entreguista, elitista, sectário, falso moralista, corrupto, colonizado e, sobretudo, violento. Ambos governantes são violentos, sendo que *temer mostrou na prática quem será Bolsonaro, o radical — o político de extrema direita, que, se puder, fecha o Congresso e devolve os juízes do Supremo Com Tudo (SCT), que vem a ser a vergonha, o vexame e a desgraça do Brasil, aos seus devidos quadrados, porque, além de golpistas, estão a governar o Brasil ilegalmente, pois manipulam as leias a seus bel-prazeres e interesses políticos e de classe.

O SCT dos togados garantidores do golpe do impeachment e "de tudo o que está aí", como sempre afirma o ex-capitão ultraneoliberal do Exército Brasileiro e subordinado à bandeira norte-americana. O político virulento e pleno de delírios, que trata com escárnio as pessoas que ele considera inferiores e, consequentemente, não merecedoras de atenção e respeito por parte do Estado nacional, que para ele somente deve atender às demandas dos que tem muito, dos que são ricos e podres de ricos, além dos norte-americanos que Bolsonaro, o "paladino" do combate à corrupção — apesar do motorista Fabrício — considera os suprassumos do mundo repleto de guerras financiadas pelo establishment dos EUA.

O milico batedor de continência ao pavilhão yankee. O privatista selvagem, mas que sempre viveu às custas do Estado, ele e sua família, porque quase 30 anos parlamentar, sendo que anteriormente estudou em escolas militares e depois se tornou oficial do EB. Privatista, mas as denúncias são de que seu filho, Flávio, recém-eleito senador pelo Rio de Janeiro, bem como seus irmãos, Eduardo e Carlos, há muitos anos vivem sob a sombra generosa e farta dos recursos pagos pelos contribuintes, pois desde cedo em suas vidas a ocupar cargos no Legislativo e suas diferentes esferas.

Desprovido de programas de governo, sobretudo os que beneficiam o povo brasileiro, por isto se recusou a enfrentar Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores, para debater propostas que ele e sua equipe de furiosos não têm e nunca tiveram, além de sua fraqueza cognitiva e ignorância atávica sobre as realidades brasileiras, bem como sem projeto de País, Bolsonaro retrata, ipsis litteris, a ausência de sentimento nacionalista e de soberania, no que é relativo ao Brasil e à emancipação definitiva dos brasileiros, no que tange à civilização e à cidadania.

O ex-militar de média hierarquia até hoje pensa que bancar o Bozo, a fazer flexões em quartéis, esticar os braços e as mãos para simbolizar armas e xingar o Lula e o PT da forma mais infame e covarde para disfarçar sua incompetência e seu desconhecimento sobre economia, culturas, sociedade e realidades são o suficiente para enganar para sempre os bolsominions/coxinhas daqui, ali e acolá.

Os patetas cheios de presunções e opiniões sobre o que não compreendem, mas que resolveram apoiar um golpe de estado contra uma mandatária que não cometeu crimes para colocar, irresponsavelmente, no poder central um dos piores seres humanos que este País já produziu, pois pleno de intolerância, violência e preconceitos em todas suas dimensões e essências.

Jamais se deve esquecer que os bolsominions, quietos como os mortos em suas tumbas, apoiaram sem assumir o golpista e usurpador abjeto, *mi-shell temer, aliado de Bolsonaro, cujo programa de desconstrução da Nação, do Estado nacional e de seu patrimônio será a base do programa ultraneoliberal do banqueiro Paulo Guedes, um aventureiro e predador do capital internacional, que, certamente, será duramente questionado pelo leviano e golpista empresariado brasileiro, até porque o empresário tupiniquim pode até ser um provinciano colonizado, sem noção de soberania e respeito pelo País e o trabalhador brasileiro que o sustenta, mas nunca deixou de preservar seus bolsos e sua vida de opulências, riquezas e farturas mil. Quem viver verá!

O presidente fascista eleito, de cabeça colonizada e servil aos interesses dos Estados Unidos, como a maioria dos oficiais das Forças Armadas brasileiras, o capitão fracassado, insubordinado e despreparado é useiro e vezeiro em insultar seus opositores de esquerda com a pecha de "terroristas", mas quem ameaçou jogar bombas em unidades militares e até mesmo na principal adutora fluminense foi o capitão Jair Bolsonaro, que deve considerar que armar bombas e fazer ameaças ferozmente não são atos terroristas.

Considerado descontrolado e insubordinado, tal oficial era visto por oficiais superiores como uma pessoa de ambição desmedida e determinada a resolver seus problemas salariais e financeiros com violência, mesmo a saber que seria punido, o que não aconteceu exemplarmente, porque o STM passou a mão em sua cabeça, em um placar de 8 a 4. Um general chegou a dizer que Bolsonaro tinha grande ambição financeira.

Do contrário, Bolsonaro seria expulso, o que seria demais para suas intenções de político, que sempre viveu dos votos dos praças das Forças Armadas, dos bombeiros e policiais militares, até que, com o tempo, as gerações de oficiais superiores de sua época de capitão se aposentaram e morreram, bem como as atuais passaram a dar atenção ao capitão\deputado, porque passou a ser visto como alguém que os representasse na política.

Trata-se, pois, de coronéis e generais de gerações mais novas, ou seja, a mesma geração de Bolsonaro. E agora os generais estão aí de volta, a ocupar dez cargos de primeiro escalão de um futuro governo radicalmente contra os trabalhadores e os interesses de soberania e estratégicos do País. É isto mesmo: generais privatistas, que apoiaram, primeiramente nos bastidores, mais um golpe de estado travestido de legal e legítimo, sendo que até hoje pressionam o Supremo Com Tudo (SCT) para não soltar o Lula e, mais do que isto, continuar a combater politicamente as esquerdas e os movimentos sociais.

Quer saber de uma coisa, cara pálida: o senador Romero Jucá tem razão, quando ele disse que a derrubada da Dilma tinha de ser um grande acordo nacional. O golpista quis dizer que a burguesia e seus defensores deveriam se juntar e rasgar a Constituição e prostituir o Estado de Direito. Dito e feito: generais, juízes, procuradores, policiais, grandes empresários, donos das maiores mídias, como os Marinho, e, principalmente, os políticos de direita se juntaram em uma conspiração diabólica e jogaram na lixeira 54,5 milhões de votos concedidos a reeleita Dilma Rousseff — a presidente legítima.

Enquanto isto, seu ministro da Justiça, Sérgio Não Vem ao Caso Moro, que jamais prendeu um tucano ladrão em sua vida de atos capciosos e ações injustas, encarcerou exatamente o candidato de esquerda, nacionalista e favorito às eleições presidenciais de 2018, cujo nome é Luiz Inácio Lula da Silva. Sem o advento do golpe bananeiro de terceiro mundo e a prisão de Lula não haveria como o fascista e agressivo Jair Bolsonaro vencer as eleições presidenciais.

O líder trabalhista está preso por causa de um apartamento de terceira categoria, um verdadeiro muquifo que mais parece um pombal, que jamais foi seu, consoante o próprio despacho condenatório de Sérgio Moro, que reconhece que não há provas reais ou materiais de ser do Lula tal muquifo localizado em Guarujá, que comparado às casas de inúmeros juízes e procuradores não passa de um casebre, que foi chamado pela imprensa desacreditada e de negócios privados de tríplex, porque a intenção malévola era dar à população uma conotação de que Lula queria morar em uma unidade de luxo.

O apartamento que, inclusive, não foi reformado e não tem elevador interno, como apregoaram por meio de mentiras deslavadas o juiz Moro e seus asseclas de Lava Jato, um deles o procurador Deltan Dallagnol, o autor de um powerpoint leviano e mentiroso, cujo único propósito era, por intermédio da imprensa de mercado mais imunda e corrupta do mundo ocidental, caluniar, injuriar e difamar o presidente Lula e sua família perante a sociedade brasileira.

O muquifo de Guarujá sempre pertenceu à OAS, assim como o MTST o filmou e mostrou ao público a farsa política e criminosa da Lava Jato, a ter o juiz Moro e os procuradores Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima como protagonistas de ações sórdidas que envergonhariam até os seres humanos mais mentirosos e manipuladores.

O processo que levou Lula à prisão e o transformou em preso politico sequestrado por togados de direita e hoje tutelados pelos generais de terceiro mundo sempre dispostos a distorcer os fatos e a tratar de seus interesses a manipular as realidades por intermédio das mídias hegemônicas. Lula foi injustamente encarcerado para que ele não restabelecesse o Estado de Direito e muito menos rompesse os contratos criminosos de entrega do patrimônio público à iniciativa privada estrangeira e nacional por parte do irresponsável e golpista *mi-shell temer, cujo governo fracassado e ilegítimo terá continuidade por meio do fascista Jair Bolsonaro.

O Supremo Com Tudo (SCT) é tão desmoralizado e desacreditado que chegou ao ponto de o juiz Dias Toffoli afirmar que o golpe de 1964 não foi golpe, mas apenas um "movimento". Só se foi um movimento que derrubou um presidente constitucional e legítimo e depois decidiu matar, torturar, perseguir, demitir, exilar, dentre muitos outros "movimentos", segundo Toffoli, o juiz que traiu a tudo e a todos e que mantém Lula na cadeia sem o mínimo peso em sua consciência, se algum dia a teve.

A quem Toffoli quer agradar? Com a palavra, o presidente do SCT, que cassou a decisão do juiz Marco Aurélio de Mello, que determinava a soltura dos presos sem os processos terem sido transitados em julgado, bem como detidos em razão de condenações após a segunda instância da Justiça. Marco Aurélio cumpriu a Constituição e o mundo lavajatense de maus bofes ficou histérico, pois obsessivo com o Lula, além de odiá-lo. Trata-se da Justiça que perdeu a vergonha e resolveu pisar no lodo fétido onde a má política viceja e expõe suas vísceras já putrefatas.

Os generais retornaram à política com prazer e júbilo. Porém, suas mentes limitadas ao pensamento retrógado de suas castas ficaram congeladas na Guerra Fria. Até hoje consideram o povo brasileiro e seus movimentos reivindicatórios como inimigos. Incrível essa gente de fardas estreladas: só faltam republicar a Lei de Segurança Nacional (LSN), a fim de reprimir todos aqueles que não cantam suas músicas. Os que pensam e veem o mundo de outra forma, que não seja a dos milicos.

Bolsonaro é cria do Exército e o Exército sempre reprimiu o povo e suas lideranças quando esteve no poder ou quando serviu aos interesses do Império e da República Velha, sem falar, evidentemente, na longa ditadura militar de 21 anos. Não aprenderam nada, pois continuam a agir de forma antidemocrática, antinacional e antipopular, assim como agem sabujos dos norte-americanos e a tratar o Brasil como uma colônia a serviço da burguesia nacional e do establishment internacional. Os generais trabalham em prol de uma burguesia lacaia e corrupta, a exemplo do que o Bolsonaro irá levar para o poder.

Por isto que prender Lula, um presidente nacionalista e com projeto soberano, é uma questão essencial para que o Brasil se torne um inseto preso à teia dos Estados Unidos. Prostituem o Brasil e depois marcham e batem continência à bandeira, como se esses atos fossem a representatividade do que é realmente preservar a Nação dos interesses estrangeiros para desenvolvê-la economicamente e libertar o povo brasileiro das amarras que atrasam perversamente sua total emancipação. Os militares brasileiros são, sem generalizar, a guarda pretoriana do status quo e de seus próprios interesses, até que se prove, historicamente, o contrário.

Violentíssimo e irresponsável com as palavras, Bolsonaro traduziu, no decorrer de incontáveis escândalos dos quais foi protagonista no Congresso e na sociedade civil, parte dos sentimentos e valores da sociedade brasileira, que demonstrou, literalmente, que concorda com a violência, a repressão, a opressão e o descaso com a coisa pública, pois irremediavelmente odeiam o Brasil, mas tomam suas cores para confundir e impor suas vontades antinacionais e contra os avanços sociais efetivados nos governos petistas.

O futuro presidente de perfil e ideologia fascista se prepara para privatizar o Brasil, porque neste País, quando a direita vence as eleições, ela confunde o patrimônio público como se fosse privado, e, com efeito, o entrega a preço de banana à gringada malandra e esperta, que sabe que não será necessário invadir e bombardear o Brasil para roubar, por exemplo, o Pré-Sal, como tiveram de fazer em Coreia, Vietnã, Iraque, Líbia, Irã, Síria, dentre muitos países que resistiram ao máximo contra o poderio armamentista yankee.

No Brasil, nada disso é necessário, porque aqui viceja a pequena burguesia e burguesia que dominam os setores público e privado e que são completamente colonizadas e subservientes. A serem assim tão patéticas e pusilânimes, fazem questão de se alinhar aos interesses norte-americanos sem eles mesmo pedirem nada.

Trata-se de uma direita prostituída por considerar que este é seu papel no mundo: ser pária e desimportante, além de entregar tudo aos EUA e ainda achar muito bom ficar sempre de quatro. E depois batem continência, cantam o hino e saem às ruas como verdadeiros patetas vestidos com camisas da Seleção Brasileira, que há muito tempo não emociona o povão brasileiro, diga-se de passagem.

E os militares, juízes e procuradores agem dessa forma predadora com o Brasil, porque para eles o Lula é ladrão para que o povo se distraia com tal maledicência e mau-caratismo, enquanto o Brasil é roubado por um governo corrupto, sendo que continuará a sê-lo com o governo fascista que tomará posse do poder, porque privatizar o Estado, mesmo que "legalmente" à iniciativa privada não é apenas um roubo, mas, sobretudo, uma inominável e indescritível traição à Pátria e ao desenvolvimento de todos os brasileiros.

E aí tem de a sociedade brasileira, ou pelo menos parte importante dela, de aturar o general falastrão e fanfarrão, Paulo Chagas, que um dia terá de pedir para sair, como aconteceu em 1985, quando o general João Figueiredo deixou a Presidência da República pelas portas dos fundos da Palácio do Planalto em direção aos seus cavalos, que ele prezava mais do que o povo. Afinal, as Forças Armadas e seus generais sempre tiveram relações íntimas com a casa grande pertencente à alta burguesia. Veja só como o Bolsonaro idolatra os ricos... Chega a ser ridículo.

Pobre do Brasil, que tem generais que ameaçam os Supremo Com Tudo (SCT), que não se dá o respeito e depois ficar na condição de tutelado de uma força militar, que teima em se meter na política. Nenhum país desenvolvido possui militares tão opinativos, arrogantes e totalmente distantes das conjunturas brasileiras, de forma que são completamente alienados, pois desconhecem as diversidades do Brasil e se sentem confortáveis em serem apenas uma força de segunda categoria em relação aos militares norte-americanos.

Esses milicos somados aos juízes e procuradores, bem como aos empresários predadores bajulados por eles vão fazer um governo de desmonte de Estado e de retorno à fome e à miséria. Que surfem na onda dos bolsominions que agem nas ruas como loucos a insultar e agredir as pessoas que não concordam com suas faltas de ideias e ignorâncias. Dias Toffoli e Paulo Chagas se merecem e irão compor com o governante mais fascista e desequilibrado da história do Brasil, Contudo, a história não perdoa. Quem viver verá. É isso aí.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247