Democratizar a mídia é a batalha decisiva no Brasil

"A censura da RedeTV à entrevista feita pelo jornalista Kennedy Alencar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostra, mais uma vez, que a democratização da mídia é a batalha decisiva no Brasil, que virou uma câmara de gás no campo da informação", diz o jornalista Leonardo Attuch, editor do 247. "Se a RedeTV decidiu se autocensurar, a decisão provavelmente foi tomada porque alguém (será o governo???) pagou mais. A mídia corporativa não rasga dinheiro"

Democratizar a mídia é a batalha decisiva no Brasil
Democratizar a mídia é a batalha decisiva no Brasil (Foto: Ricardo Stuckert)

A censura da RedeTV à entrevista feita pelo jornalista Kennedy Alencar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostra, mais uma vez, que a democratização da mídia é a batalha decisiva no Brasil, que virou uma câmara de gás no campo da informação. A mídia corporativa diz sempre as mesmas coisas, repete sempre os mesmos pontos de vista.

“Consensos”, como o da reforma da Previdência, são sempre fabricados pelos grupos de interesse - em geral, do sistema financeiro - que tentam controlar a agenda pública no País e ditar o que se deve ou não dizer.

A nota da RedeTV é simplesmente ridícula. A empresa diz que pediu ao Supremo Tribunal Federal a entrevista com Lula apenas no âmbito de um projeto da BBC, que não precisa de intermediários no Brasil.

As entrevistas de Lula aos jornalistas Florestan Fernandes Júnior e Mônica Bergamo renderam milhões de visualizações à Folha e ao El Pais. Portanto, geraram inscritos e monetização para os seus canais.

Se a RedeTV decidiu se autocensurar, a decisão provavelmente foi tomada porque alguém (será o governo???) pagou mais. A mídia corporativa não rasga dinheiro.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247