Derrotar o fascismo e fazer o Brasil feliz de novo

Vencer as eleições de 7 de outubro é fundamental. Pelo Brasil. Pelo futuro do nosso povo. E cabe a nós do PT, do campo Democrático-Popular, da esquerda e de todos os democratas a responsabilidade histórica de compor e fazer alianças junto ao centro no intuito de alterar a correlação de forças, encurralando e derrotando o fascismo

Derrotar o fascismo e fazer o Brasil feliz de novo
Derrotar o fascismo e fazer o Brasil feliz de novo (Foto: Esq.: Fabio Pozzebom - ABR / Dir.: Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Datafolha de ontem (28) confirmou que Bolsonaro estagnou e Haddad segue em franca ascensão. Engana-se quem acha que haverá reversão deste cenário. Portanto, o segundo turno está dado: é PT x fascismo. Civilização x Barbárie.

Vencer as eleições de 7 de outubro é fundamental. Pelo Brasil. Pelo futuro do nosso povo. E cabe a nós do PT, do campo Democrático-Popular, da esquerda e de todos os democratas a responsabilidade histórica de compor e fazer alianças junto ao centro no intuito de alterar a correlação de forças, encurralando e derrotando o fascismo.

Nosso esforço deve estar centrado na busca por ampliar nossos apoios e apresentar uma proposta de concertação nacional. Ou seja, apostar que a repactuação da ordem democrática é o único caminho possível para a retomada do desenvolvimento com emprego, renda e justiça social no Brasil.

Nós do PT junto com Haddad somos a única alternativa viável para retomar o funcionamento das instituições e fazer o Brasil feliz de novo.

Venceremos!

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247