#DitaduraNuncaMais é #ForaBolsonaro

Há quem afirme que Bolsonaro é um psicopata, mas os psicopatas têm direito a tratamento, mas Bolsonaro é um marginal, ídolo e protetor de milicianos e os marginais precisam apenas que a lei os alcance e ofereça a eles de uma temporada na cadeia para serem recuperados para o convívio social, sem pressa

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode fazer isso.

Martin Luther King

Talvez pudéssemos estar refletindo sobre o tipo de vida que podemos ter e que devemos buscar quando o distanciamento social terminar, mas o presidente golpista ultrapassou todos os limites, e em meio da pandemia e da necessidade de distanciamento e isolamento social, compareceu a manifestação que pede o fim da democracia, o fechamento do congresso e do STF.

Bolsonaro apresentou-se como o que é: um canalha, um populista de extrema direita e, disposto a romper com a constituição que jurou defender, pois apoiou um ato público pelo fim das liberdades e da democracia. 

Há quem afirme que Bolsonaro é um psicopata, mas os psicopatas têm direito a tratamento, mas Bolsonaro é um marginal, ídolo e protetor de milicianos e os marginais precisam apenas que a lei os alcance e ofereça a eles de uma temporada na cadeia para serem recuperados para o convívio social, sem pressa. 

Para mim a grande questão é: onde estão os nossos lideres? Onde estão democratas de direita, centro e esquerda para, apoiados pelo povo, darem um basta na insanidade e no deboche desse marginal que ocupa o Planalto? Estão atordoados, sem discurso e sem atitude unificadora, incapazes de sentar à mesma mesa e estabelecer providências necessárias.

Quando atacam a OAB estão atacando a democracia; quando atacam congresso atacam a democracia; quando atacam o STF atacam a democracia.

E o que é necessário? A defesa da democracia e o afastamento do marginal da Presidência da República, todo o resto é perfumaria.

Um exemplo da estupidez e inação dos lideres progressistas está na ausência de providências quanto às agressões que jornalistas, especialmente da rede Globo, vem sofrendo. Ao invés de movimentar a institucionalidade, polícias, ministério público e judiciário, há quem prefira politizar a segurança dos profissionais e atacar a empresa “que não defende seus funcionários”. Ora, se há omissão da empresa o caminho é o mesmo: polícias, ministério público e judiciário.

E o bolsonarismo? Bem, a imprensa alemã é quem melhor define esses incautos e canalhas, ela diz que bolsonarismo é seita que arrasta o Brasil para o abismo. No editorial na agência alemã Deutsche Welle diz que "o típico bolsonarista é como alguém que anda na contramão na autoestrada e ouve no rádio que há um motorista na contramão e depois grita: 'A mídia mente! Não é um motorista, são milhares!". 

A Política não é um fim em si mesmo, é instrumento de construção do bem comum, é caminho necessário, é viagem na qual compartilhamos experiências com inúmeros amigos “de viagem”; seu exercício exige diálogo e construção de caminhos de paz e consenso para o progresso social e econômico. 

Na Política amigos são como companheiros de viagem vão conosco até certo ponto e nesse momento, como em 1984, precisamos de muitos companheiros de viagem para vencer a barbárie que o bolsonarismo representa para, depois de restabelecida a democracia e fortalecidas as instituições, cada um seguir seu caminho.

O que espero dos democratas é uma atitude dentro da institucionalidade, frases impactantes nas redes sociais apenas os aproximam do método bolsonarista de falar com a militância. 

É tempo de unidade e de ação, por isso: #DitaduraNuncaMais é #ForaBolsonaro 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247