Do gozo da fantasia às cinzas da realidade

Louvável o texto do enredo da Tuiuti desenvolvido pela Escola na Sapucaí. Parabéns! Mas foi um protesto muito contido e que não mudará em nada os rumos da cruel política que reina e impera nos outros 364 dias do ano, principalmente se esse modesto desfile servir de bandeira para a esquerda brasileira enfrentar as mazelas e os desmandos de nossos comandantes

Carnaval Rio 2018 - Desfile na Sapucaí - Paraíso do Tuiuti - Grupo Especial - Paulo Portilho | Riotur
Carnaval Rio 2018 - Desfile na Sapucaí - Paraíso do Tuiuti - Grupo Especial - Paulo Portilho | Riotur (Foto: Cássio Vilela Prado)

Sem dúvida, o momento mais comentado do carnaval carioca por setores da “esquerda brasileira ressentida” foi o desfile da desconhecida escola de samba Paraíso do Tuiuti, com o seu enredo: “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, transmitido ao vivo pela Rede Globo de Televisão.

Nada demais, pois é do conhecimento de todo mundo que o Brasil sofreu um duríssimo golpe em sua Democracia em 2016 - conforme pode ser visto, lido e constatado na nossa realidade política e social pré e pós-golpeachment e em inúmeros textos, vídeos, documentos e livros (O golpe da Presidenta Dilma Rousseff: Golpeachment) já fartamente publicados com detalhes.

Neste sentido, ao que parece, o desfile da Escola, em seus poucos mais de 90 minutos, foi sofrível, pois não soube levar à Praça da Apoteose, as verdadeiras causas do racismo no Brasil, talvez o último país a abolir a escravidão (em tese): a perversidade de uma elite capitalista, herdeira de um modo de subjetivação mental oriunda de uma antropologia eurocêntrica e etnocêntrica.

Não se viu na avenida Marquês de Sapucaí a cara dos mandarins do Estado de exceção no qual se mergulhou o nosso país: juízes, imprensa-PIG (inclusive aquela que apoiou o golpe diuturnamente e que fazia a transmissão do desfile), políticos e capitalistas anacrônicos de todas as grifes, exceto os débeis e pobres “patos manipulados” e a figura de um presidente cover no final do desfile, este sim, marionete do capital brasileiro e internacional.

Louvável o texto do enredo da Tuiuti desenvolvido pela Escola na Sapucaí. Parabéns! Mas foi um protesto muito contido e que não mudará em nada os rumos da cruel política que reina e impera nos outros 364 dias do ano, principalmente se esse modesto desfile servir de bandeira para a esquerda brasileira enfrentar as mazelas e os desmandos de nossos comandantes.

Enfim, resta saber, urgente, depois de retirada a fantasia carnavalesca da Tuiuti, o que o Brasil fará para transformar o seu gozo de carnaval em meio às cinzas reais que ficaram?

 

Conheça a TV 247

Mais de Blog

Ao vivo na TV 247 Youtube 247